A paulista Fabiana Tubino se apaixonou pelo Recife e ficou impressionada com a quantidade de ciclistas que pedalavam pela cidade, mesmo sem nenhuma estrutura. “Em São Paulo, isso só começou com as ciclovias”, conta ela, que é descendente de índios mapuche.

Decidida a morar em Pernambuco, fez um curso de mecânica de bicicletas na capital paulista e, com ajuda dos amigos da cervejaria Turvalina, implantou uma bicicletaria numa das salas da Maumau Galeria (Rua Nicarágua, 173, Espinheiro). Lá conserta bicicletas, tem uma pequena tabacaria e vende um chopp artesanal e delicioso por R$ 5.

A partir das décadas de 80 e 90, conta, começou no Chile um movimento de valorização da cultura mapuche. Sempre esses índios – "super guerreiros" – eram vistos pela elite chilena com certo desprezo. O nome da bicicletaria vem dessa relação que ela vê, já que "ciclista aqui resiste todos os dias a um trânsito violento".

 (foto: Nathalia Brown/Maumau Galeria)

Fabiana participa da Bicicletada desde que veio morar em Pernambuco. Inspirado na Massa Crítica, movimento criado originalmente em São Francisco, esse grupo sai todos os meses na última sexta-feira para protestar pedalando pelas ruas do Recife e pedindo mais respeito e políticas públicas para quem se desloca diariamente de bicicleta.

Ela também participa do Bike Anjo grupo de voluntários que se dispõe a ensinar adultos e eventualmente crianças a pedalar. 

"Eu quero que aqui também seja um espaço de resistência e os ciclistas venham aqui conspirar", diz ela, que voltou nesta semana de São Paulo e ficou incomodada com o início do desmonte da política de implantação de ciclovias na capital paulista.

A Bicicletaria Mapuche aluga também seu espaço e equipamentos para quem quiser fazer serviços nas suas bicicletas. O espaço funciona de segunda a sexta, sempre das 14h às 21h (com exceção das últimas sextas do mês, quando Fabiana fecha a loja e vai protestar na Bicicletada). O espaço fica aberto também durante as festas da Maumau para vender o chopp Turvalina.

Bicicletaria Mapuche – (11) 98052-0799 (Whatsapp).

Mané, do Bike Terra, também guarda uma história de amor pela bike. Ele é empresário, atleta e dono de lanchonete. Mané também conserta bicicletas no Espinheiro.


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Para baixar o aplicativo: Android e iOS

Sugestões e colaborações: aflitos.espinheiro@poraqui.news ou (81) 98173-9108 (WhatsApp)