A delegada Silvana Carla, da Delegacia de Polícia do Espinheiro, descarta a possibilidade de relação entre o furto à Capela São Miguel Arcanjo e o assalto realizado na última sexta-feira (17), do qual foram vítimas funcionários e a Irmandade das Almas do Recife.

Para ela, as características dos dois crimes são diferentes. A Polícia Civil também não vê um crescimento no número da violência no Espinheiro.

"São dois casos atípicos e estão tendo atenção especial. Geralmente as pessoas vão àquele lugar (religioso) em busca de paz e a maioria das pessoas tem um respeito muito grande por esses espaços", diz a delegada. 

Na Irmandade, foram levados três notebooks, sete celulares e diversos cheques. O Frei Rinaldo prestará depoimento na próxima quinta-feira (23), mas o inquérito já foi instaurado e estão sendo ouvidas as vítimas.

(foto: Divulgação/Polícia Civil)

A Polícia Civil obteve imagens de gravações do circuito interno da sexta (17), mas a delegada Silvana Carla adianta que elas não são suficientes para apontar a autoria e que serão solicitadas também filmagens da Secretaria de Defesa Social. 

O assalto ao escritório de uma instituição católica localizada no bairro do Espinheiro (Rua Marques do Paraná, 3), teria sido realizado por dois homens armados durante o horário de expediente. 

A Polícia Civil solicita que moradores da área que possam ter informações sobre os suspeitos contribuam com as investigações através dos números da Delegacia do Espinheiro (3184-3377, 3184-3376 ou 3184-5172) ou pelo Disque Denúncia (3421-9595). 

A identidade das pessoas será mantida em sigilo. Na última segunda-feira (19), outro crime chamou a atenção no bairro, a violação do caixa eletrônico do Banco do Brasil dentro do Espinheiro Shopping. Leia mais aqui.


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Para baixar o aplicativo: Android e iOS

Sugestões e colaborações: aflitos.espinheiro@poraqui.news