O Conselho Deliberativo do Náutico definiu que no próximo 16 de julho serão realizadas eleições antecipadas para a Presidência do clube. Com isso, além da gestão financeira, do futebol e dos esportes “amadores”, voltou à tona o debate sobre a reforma e o retorno do time principal ao Estádio Eládio de Barros Carvalho (Aflitos), que tem sido um dos temas mais debatidos pelos alvirrubros nas ruas, bares e em redes sociais como o Twitter.

Presidente do Conselho Deliberativo, Gustavo Ventura, cita em entrevista ao Jornal do Commercio a crise financeira e a rejeição do balanço de 2016 como motivos extraordinários para antecipar as eleições, mas admite que a maioria dos conselheiros tem uma opinião diferente em relação aos Aflitos do que a gestão atual e inclusive o colegiado fez questão de destinar a maior parte da verba de R$1,5 milhão relativa a contrato com o Esporte Interativo para a reforma dos Aflitos.

“Não aceito tal tipo de crítica. Não há golpe no Náutico. Mas se você me perguntar se é uma questão política não nego já que o Conselho é um órgão com poder político. Ele não existe só para chancelar o que se faz no clube ou ficar calado. O Conselho está lá para tomar decisões quando discorda de determinadas ações. O presidente Ivan Brondi inclusive foi avisado muito antes dessa possibilidade (da antecipação das eleições)”, respondeu Gustavo Ventura, em entrevista ao JC. Leia mais aqui.

Foto: JCImagem