Antes mesmo de o PorAqui colocar no ar a estação de notícias e histórias do Espinheiro, a urbanista Gisele Lourenço, moradora da localidade, já pensava em colaborar com textos e ideias para o aplicativo. 

O texto mais abaixo foi enviado para o e-mail da nossa editora, Raíssa Ebrahim, pela proprietária da loja Mercatto, que é também uma grande entusiasta do bairro e já tenta se organizar com outros moradores e gente que está com atividades na área próxima à Av. João de Barros para formar um grupo para discutir e implementar melhorias na área.

Com o PorAqui nos Aflitos e no Espinheiro, dois bairros quase irmãos, fica ainda mais fácil para quem quer comunicar alguma notícia ou história, um novo empreendimento, uma reunião que irá discutir algo importante para a comunidade ou um evento que você ache que possa ser interessante para vários dos seus vizinhos. 

Basta mandar um e-mail para aflitos.espinheiro@poraqui.news ou entrar em contato pelo nosso WhatsApp (81 98173.9108). Se você tiver fotos ou vídeos, melhor ainda! Às vezes uma imagem vale mais que mil palavras.   

Abaixo o texto enviado por Gisele Lourenço:

(foto: Eduardo Amorim/ PorAqui)

Nasci carioca, mas moro em Pernambuco há 15 anos (13 em Porto de Galinhas) e há 2 no Espinheiro. E sou APAIXONADA pelo bairro! 

Costumo dizer que 'o Espinheiro tem de tudo'! Ruas arborizadas (Meu Deus, o que é a Rua 48!), serviços e comércio de rua diversificado: supermercados, farmácias, bancos, postos de gasolina com lojas de conveniência, cabeleireiros, barbeiros (e outras nomenclaturas para estética), sapatarias, moda feminina e masculina, hospitais, médicos, clínicas, fisioterapeutas, odontólogos, veterinárias, pet shops, feira orgânica, foodtrucks, restaurantes e bares para todos os paladares e até altas horas, docerias, padarias, cafés, academias, colégios, um Senac, uma escola técnica, cursos de idiomas, igrejas e templos para toooodos os credos, etc e tal. 

Como se não bastasse, é vizinho-colado com as Graças e a Encruzilhada – cujo Mercado é um momento à parte! – e ladeado pela Agamenon e pela Av. Norte. 

Acredito que o morador do Espinheiro seja o que mais anda à pé na cidade. Todo mundo se conhece e se encontra. Isso traz uma sensação de acolhimento indescritível! E tem muitos idosos! Eles emprestam um ar de tradição, de família ao bairro e refletem/ inspiram uma possibilidade de qualidade de vida muito forte. Afinal eles estão na Igreja e na academia, no bar e no supermercado, na aula de ioga/pilates/dança e no mercado da Encruzilhada.

O que falta? Acho que uma ciclofaixa, porque tem muuuuita bicicleta e isso é muito bom : ) Tenho uma papelaria na Av. João de Barros e recebo visitas todos os dias.

Visitas, porque nem sempre vêm como clientes em busca de algum produto, mas me trazem um pedaço de bolo quentinho, pãezinhos de queijo, doce de goiaba feito em casa, mangas, cup cakes, entre outras iguarias … e um dedo de prosa contando a história do bairro: 'Ali tinha um cinema!', 'Eu jogava bola nesse terreno quando era pequeno!'.

Para aprofundar minha viagem, apontam as casa mais antigas, quase palacetes, reminiscentes de um tempo de amplidões e esmero nos detalhes, antes que sejam substituídas pelos edifícios-gêmeos de hoje. No meu imaginário vou construindo um álbum de figurinhas formado por paisagens e personagens que gostaria muito de compartilhar com vocês!

Ah, gente, deixa eu colaborar!


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Para baixar o aplicativo: Android e iOS

Sugestões e colaborações: aflitos.espinheiro@poraqui.news