A tragédia do rompimento da barragem de Brumadinho, se por um lado revelou negligência humana no trato do assunto extremamente perigoso, por outro fez aflorar, mais uma vez, a solidariedade, a fraternidade, a benevolência, a generosidade, a coragem e a compaixão humanas, em atos e atitudes dignas de louvor, que só podem ser definidas como as virtudes humanas mais sublimes.

Já houve outras ocasiões em que essas qualidades humanas afloraram. Lembro do caso dos garotos do Javalis Selvagens, que ficaram presos numa caverna inundada na Tailândia, e foram salvos pelos heróis com as mesmas qualidades dos heróis de Brumadinho, arriscaram suas vidas e salvaram todo o time. Infelizmente, naquele caso um dos heróis foi vítima fatal. Roguemos para que os heróis de Brumadinho não sejam vitimados como já foram os que foram soterrados vivos.

Brumadinho recebeu solidariedade de várias partes do mundo e de todo tipo. Desde os que estavam diretamente rastejando na lama viscosa, às operações arriscadas dos helicópteros, dos colaboradores que enviaram víveres e mantimentos e os que se empenharam na organização e na distribuição dos suprimentos. Do Estado de Israel, com tecnologia e pessoal altamente preparado, de outros países com profissionais e suprimentos, dos bombeiros, policiais e militares de vários estados, que mesmo preparados, nunca haviam se deparado com missão tão perigosa, inusitada, e de sucesso improvável.

Mas a coragem, a fraternidade e a solidariedade foram muito maiores e mais fortes que o preparo profissional e que os recursos de qualquer natureza de todos eles. E assim, fizeram do cumprimento da missão uma QUESTÃO DE HONRA. São também dignos de louvor os atos de bravura de funcionários da empresa e pessoas voluntárias que, sem nenhum preparo para aquela missão, arriscaram também suas vidas para salvar colegas que estavam no perigo da morte certa.

Reciclagem

Muitas instituições religiosas e filantrópicas, especialmente ONGs, praticam uma solidariedade permanente, quando arrecadam mantimentos, roupas e outras coisas para distribuir com pessoas e comunidades carentes. Assim, moradores de rua recebem sopa à noite, cobertores, e comunidades do interior recebem visitas de profissionais, de forma a mitigar a carência dos que não dispõem desses bens. Mas a solidariedade permanente que proponho neste texto talvez mereça o nome de MOBILIZAÇÃO, e como tal, permanente.

O acúmulo de rejeitos nas minas de mineração se deve à extração de minério para suprir as necessidades da economia, criando facilidades para a vida da espécie humana. As barragens de rejeitos são vulcões de lava fria construídos pelo homem, aguardando a saturação para erupção. O Brasil foi agraciado com a abundância de recursos minerais, especialmente no estado de Minas Gerais e no Pará, que têm maior extração. No caso de Brumadinho, o interesse é o ferro, mas nas minas abundam também o manganês, cobre, alumínio, outros metais e até ouro, indispensáveis ao progresso da humanidade.

mineração

O núcleo da Terra é constituído de ferro e níquel. E outros minerais se formam devido à pressão e à temperatura. Será que teremos de exaurir todos os minérios das entranhas da Terra para satisfazer nossas necessidades?

Não é raro vermos notícias de sucatas de ferro, aço, alumínio, outros metais e também de outros materiais, como plásticos, vidros, borracha, madeira, abandonados em obras inacabadas, urbanas ou periféricas nas estradas, ou nos lixões de cidades de todo porte. Também diariamente, em nossas casas, descartamos objetos, embalagens que contêm esses materiais que podem ser novamente matéria-prima para novos bens. A matéria-prima contida nessas sucatas poderia ser reutilizada em processos de reciclagem, poupando-se as minas, a energia, e reduzindo o acúmulo de rejeitos.

lixão

O volume de material descartado e acumulado em lixões é tão grande e inconveniente para a espécie humana que em todos os países existem preocupações e movimentos para a redução dos lixões. No Brasil, as nossas preocupações e providências estão consolidadas na Lei 12.305, Lei dos Resíduos Sólidos, que ser o que há de mais lógico e avançado para resolver esse problema dos lixões. Reconhecemos que cada pessoa, cada agente econômico consumidor, é um potencial poluidor, cabendo a ele desfazer os seus rastros no planeta, fazendo a logística reversa.

Aproveitamento total

A logística reversa consiste em fazer voltar ao fabricante a embalagem, a sucata, o que não se destina ao consumo do comprador. Isso está a exigir uma reformulação do processo produtivo para definir claramente, e executar na prática, o ciclo de nascimento e morte de cada produto. Só devem ser descartados para o lixo os resíduos, que depois de esgotadas todas as possibilidades de aproveitamento, não sendo possível, são depositados convenientemente em locais previamente preparados para a geração de energia, ou aguardar a sua decomposição pela natureza.

Assim como os microrganismos se encarregam da liberação dos elementos contidos na matéria orgânica para realização do ciclo biogeoquímico, nós precisamos construir ou criar empresas decompositoras para fazer o ciclo da matéria-prima. Esse processo não é nada fácil de ser implantado. Envolve a complexa montagem de rede de retorno de sucatas, com elevação de custos, e o mais difícil ainda em qualquer processo: a mudança de hábitos e cultura das pessoas.

Fazer a logística reversa para reduzir barragens de rejeitos e lixões é praticar solidariedade permanente, é mobilização solidária com a espécie humana. Essa tarefa é difícil, pode ser árdua, mas com certeza é menos dolorosa que resgatar os corpos das pessoas que estão soterradas em Brumadinho, ou em outros casos que possam surgir.