É típico da juventude a curiosidade e o desejo de experimentar novas sensações. O consumo de álcool, culturalmente aceito e até estimulado em nossa sociedade, termina sendo comum entre jovens e adolescentes, inclusive pela necessidade que têm de pertencerem a grupos e se socializarem. No entanto, o consumo em excesso pode trazer consequências perigosas, pois por terem o cérebro ainda em formação, são eles mais vulneráveis a desenvolver dependência.

Aquela imagem clássica do alcoólatra de meia idade ou mais velho que bebeu a vida toda e acabou ficando alcoólatra já ficou pra trás nas estatísticas. Hoje é muito comum ver pessoas recém-saídas da adolescência, com 20 ou 30 anos, já com um problema tão grave. A boa notícia é que existe recuperação. E ela passa por um tratamento multidisciplinar que deve ser feito em ambientes especializados. Neste vídeo, Marcelo Machado, diretor técnico da Clínica Hospitalar Novo Nascer (que funciona em Aldeia), fala sobre o assunto.

Leia também:

Falar sobre suicídio pode salvar vidas, diz especialista 
Mitos e verdades sobre o alcoolismo: especialista responde dúvidas

Esta coluna é assinada pela Clínica Hospitalar Novo Nascer, que funciona em Aldeia e oferece tratamentos em Dependência Química, Alcoolismo e Transtornos Emocionais, como depressão e bipolaridade.

Clínica Hospitalar Novo Nascer
Rua Cristine Albert, 752 (Estrada da Mumbeca), Aldeia
(081) 97316-3700 e (081) 4101-3201
www.facebook.com/novonascer
www.instagram.com/novonascer
www.novonascer.com.br