Tem tanta jaca em Aldeia que o nome da região bem poderia ser Aldeia das Jacas. Até os blocos de Carnaval que aqui foram criados, na década de 1990, homenageavam a fruta: Jaca Dura, Jaca Mole e Jacamé.

Antes pouco valorizada – era comum ver grandes quantidades da fruta caídas e desprezadas pela estrada –, ela agora começa a ser descoberta pelos comerciantes e moradores da região.

Inteira ou em bagos ensacados, prontos para o consumo
Inteira ou em bagos ensacados, prontos para o consumo

A fruta, que pode chegar a pesar mais de 20 quilos e foi trazida da Índia no século 18, tem ganhado admiradores e novos usos nos últimos tempos.

Os vegetarianos, por exemplo, já inventaram diversas receitas que utilizam a jaca como “carne”, podendo ser preparada também em sobremesas e sucos.

Como é abundante durante quase o ano todo em Aldeia, os comerciantes informais finalmente despertaram para o valor da fruta e estão aproveitando para faturar, agora com uma forma mais atraente e prática de vender a jaca: descascada e ensacada, pronta para o consumo.

Seu Bezin e o “primeiro drive-thru de hortifrútis”

Isac da Silva Andrade, 26 anos, é um dos quatro ajudantes que a comerciante conhecida como Tiane das Jacas contratou para vender a fruta na Estrada de Aldeia há três semanas. Cada um deles recebeu uma pequena mesinha de madeira, um banco, e uma quantidade de jacas, inteiras e em bagos, para vender.

Isac, cuja banca fica no retão do km 11, afirma que nos dias bons chega a vender até 50 sacos de jaca dura cortada, cada um com cerca de 300 gramas.

Isac chega a vender 50 sacos de jaca num único dia
Isac chega a vender 50 sacos de jaca num único dia

No km 9 encontramos Maria de Fátima Dias, 56, que também vende jaca. “Negocio com jaca há 38 anos aqui em Aldeia e já tenho minha freguesia certa nos fins de semana. O problema é que invadiram Aldeia, isso aqui não é mais a mesma coisa. Antigamente a gente tinha jaca o ano todo; agora só temos nove meses de jaca por ano. Estão detonando tudo!”, lamenta a comerciante, que nos meses de entressafra tem que trabalhar na lavoura.

Maria de Fátima reclama que já não há mais tanta jaca como antigamente
Maria de Fátima: já não há mais tanta jaca como antigamente

Contando com a ajuda do marido, Ivanildo Correia, e outras pessoas da família, Maria de Fátima diz que o saco de jaca é vendido a R$ 5 e uma jaca inteira, dependendo do tamanho, varia de R$ 8 a R$ 20. Seus fornecedores, diz, são granjeiros de Aldeia, que passam na Estrada oferecendo o produto.

Algumas utilidades

A jaqueira é uma árvore frondosa que dá muita sombra e fornece alimento para diversos animais silvestres. Considerada a maior fruta nascida em árvore do mundo, a jaca tem muitas propriedades nutricionais, ajuda a combater o câncer e a anemia, reduz a pressão arterial, e o melhor, pode ser usada verde ou madura, em uma infinidade de pratos doces e salgados, crus ou cozidos.

A internet está cheia de receitas que utilizam a jaca como principal ingrediente. Confira algumas utilidades da fruta tropical.

Vegetarianos usam a jaca como carne em diversas receitas
Vegetarianos usam a jaca como carne em diversas receitas

A polpa serve para fazer:

Doces, geleias, sucos, sorvetes, brigadeiro de jaca;
Pães e bolos;
Como substituto de carnes em pratos variados como estrogonofe, panqueca, moqueca, recheios de tortas, empadões, coxinha, pizza, bolinhos e sanduíches;
Ceviche vegano;
Aguardente (comum na Índia).

As sementes servem para: castanhas assadas ou cozinhadas (fica como um pinhão) e compotas doces.

A madeira das jaqueiras é muito utilizada em móveis e artesanato
A madeira das jaqueiras é muito utilizada em móveis e artesanato

E ainda:
A madeira da jaqueira é muito utilizada na fabricação de móveis e objetos
Seu látex serve para fazer cola artesanal;
Na Índia, a casca alaranjada da árvore é usada para tingir roupas de monges.

Se você conhece outras utilidades da jaca, ou quer compartilhar alguma receita de família, posta aqui nos comentários!