A arquiteta Lenora Alves, moradora de Aldeia, é daquelas pessoas que não conseguem ver um animalzinho sofrendo. E se a filha Brisa, de 4 anos, estiver junto, é certeza que tomarão conta e cuidarão dele até que fique bem. Foi o que aconteceu duas semanas atrás, quando uma gatinha malhada, aparentando uns dois meses de vida, apareceu nas redondezas da casa dela com a pata esquerda dianteira pendurada, sangrando e balançando.

Leia mais:

Animais silvestres também sofrem com os fogos em Aldeia

Mesmo já sendo cuidadora de outros 13 gatos de rua, Lenora não perdeu tempo: levou a gatinha para uma clínica veterinária e lá descobriu que ela já havia perdido os tendões e ligamentos, provavelmente por conta de uma queimadura. Teve que ser internada e teve a patinha amputada. Agora já aliviada e ainda preocupada com os cuidados pós-operatórios, Lenora procura ajuda para cobrir os gastos médicos, que somaram R$ 1.800.

A madrinha Cecília ajuda nos cuidados pós-operatórios
00 A madrinha Cecília ajuda nos cuidados pós-operatórios

Lupita

Sem querer divulgar seu endereço por motivos óbvios, a arquiteta conta que o problema de gatos de rua é cada dia mais grave em Aldeia. “Não é nem que os gatos estejam abandonados, é que eles saem de suas casas e se reproduzem desenfreadamente. Deveria haver um controle maior dessa população, uma forte campanha de castração”, opina Lenora.

“Eu tenho conseguido castrar os que tenho em casa, mas realmente já cheguei no meu limite”, diz ela, adiantando que gasta R$ 100 por castração, incluindo o hemograma. “Sei que tem hospitais no Recife, como o do Cordeiro, onde há castração de graça ou quase de graça. Acho que aqui em Camaragibe e Paudalho seria muito importante que houvesse também”.

Lenora e a filha Brisa, em casa, com Lupita
Lenora e a filha Brisa, em casa, com Lupita

Enquanto isso, a gatinha que teve a pata amputada foi batizada como Lupita e até já ganhou uma madrinha de verdade, Cecília Barthel, amiga de Lenora, que se sensibilizou com a história e tem ajudado nos cuidados pós-operatórios, aplicando injeções e fazendo os curativos.

Quem puder ajudar a custear as despesas com Lupita, pode depositar qualquer quantia na conta:

Caixa Econômica Federal
Ag. 4739
OP 001
Cc. 20696-0
Lenora Cardoso Ferreira Alves
CPF: 888.411.974-04

Ou falar com Lenora Alves pelo telefone (081) 99207-5544.