Ele está sempre no jardim dando vida ao seu ambiente de trabalho, invadindo as salas com seus arranjos que deixam o ambiente da pousada para idosos com a sua marca de alegria e criatividade. Para cada um dos pacientes sempre tem um sorriso e um bom dia, que o fazem mais querido. É comum ouvir-se elogios a ele, como: “é um artista”, ou “nosso decorador é incomparável!”. E ele, escondido em sua modéstia, dá um sorriso de agradecimento. Mas quem é esse homem?

O sorridente Manoel Feliciano
O sorridente Manoel Feliciano

Seu Manuel Feliciano de Souza, 58 anos, e que faz aniversário num dia bem apropriado para seu jeito de viver: 1º de maio, Dia do Trabalho. Mora atualmente na Vila da Fábrica, em Camaragibe, mas é natural de Limoeiro. Começou a trabalhar lá, numa vacaria, depois mudou-se pra Camaragibe, onde atuou como vaqueiro numa fazenda.

As plantas, no entanto, sempre o atraíram. Ele observava com muita atenção o nascer das flores, sua beleza e as diferenças entre elas, que devem ser respeitadas pra que a beleza de cada uma seja notada. Fala isso num linguagem simples, mas muito seguro do que diz. Certa feita houve uma festa na fazenda e ele resolveu “fazer uns arranjos”. Daí para frente, nunca mais parou. Há 28 anos cuida de plantas.

Arranjos com suculentas
Arranjos com suculentas

Atualmente trabalha como jardineiro na Pousada Geriátrica João de Deus, no km 1 da Estrada de Aldeia. Além das plantas do jardim, cuida da horta que fornece alimentos para os moradores da pousada. Nas horas vagas, faz o que realmente lhe dá prazer: arranjos florais. Orgulhoso do talento descoberto por acaso, e com um sorriso encabulado, pergunta: “Sou um artista, não sou?”.

Casado e com duas filha, Seu Manoel diz não ter posição política bem definida. Perguntado sobre o Brasil atual, diz que anda “desgostoso”, mas como é religioso, tem esperança que mudanças aconteçam. Modesto, fica surpreso pelo interesse em sua vida. Sorrindo, responde: “No que eu posso interessar? Sou um homem iletrado, mal fiz até a quarta série!”.

Seu Manoel ainda não oferece seus trabalhos para o público, apesar do interesse das pessoas e de ter entre seus sonhos, continuar fazendo arranjos para alegrar os ambientes e as pessoas. Quem sabe depois da aposentadoria?

Muito querido por todos do staff da clínica e muito festejado pelos pacientes, o que se ouve sempre a respeito do Seu Manuel é que ele é o homem do sorriso, a alegria do jardim e da casa. “O que ele faz traz alegria, paz e amor”.

* Maria Helena Berkers é psicóloga clínica e moradora de Aldeia há 15 anos.

Os conteúdos publicados no PorAqui são de autoria de colaboradores eventuais e fixos e não refletem necessariamente as ideias ou opiniões do PorAqui. Somos uma rede que visa mostrar a pluralidade de bairros, histórias e pessoas.