A tentativa de furto de combustível que resultou no vazamento de gasolina e feriu cinco pessoas em Duque de Caxias (RJ), na semana passada, acendeu o botão de alerta em todas as localidades por onde passam gasodutos.

Transpetro
Pequenos postes sinalizam a presença de dutos

Leia também:

Atenção, aldeienses! Todo cuidado é pouco com os dutos da Transpetro

Em Aldeia, por exemplo, passam dois dutos de gás natural: o primeiro (Nordestão) sai de Bola na Rede cruzando a Estrada da Mumbeca e se conecta a outro duto na comunidade do Oitenta. De lá chega à PE-27 na altura do posto BR, segue até a propriedade ao lado do Clube Sargento Wolf e vai em direção a Timbi passando pelo Borralho. O outro, ramificação do primeiro, nasce na Mumbeca, cruza a PE-27 no km 13 e desce pela mata até Tiúma.

Riscos

O risco de acidentes, segundo a Transpetro, é mínimo, mas um vazamento pode causar grandes tragédias. Por estarem a 1,5 metro de profundidade, os dutos podem ser perfurados sem intenção. Daí existirem placas e postes amarelos sinalizando a presença da faixa de dutos e a proibição de escavação, construção, uso de arado, produção de fogo e plantio de árvores de raízes profundas a 50 metros daqueles locais.

Apesar dos avisos e do trabalho de conscientização da população no entorno das áreas de dutos, podem acontecer tentativas de furto, como houve no Rio de Janeiro. E, nestes casos, o resultado será sempre o vazamento de gás e explosões.

Por isso, se perceber alguma ameaça ou cheiro de gás próximo à área de gasodutos, ligue para imediatamente para 168. A ligação é grátis e o telefone funciona 24 horas por dia, sete dias por semana.