O projeto de financiamento coletivo de reflorestamento de áreas da Mata Atlântica e Caatinga do Nordeste, ReNordestando, capitaneado pelo Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (Cepan), fará a primeira atividade de plantio de mudas na quarta-feira, 30/1, no Assentamento Pitanga II, em Abreu e Lima.

Leia também:

Doe 10 reais e ajude a reflorestar os ecossistemas nordestinos

A área está dentro da APA Aldeia-Beberibe e foi escolhida para estrear o projeto porque lá já existe uma parceria com a comunidade, que colabora com a manutenção do plantio. Na ocasião serão plantadas 30 mudas de espécies nativas e todos os colaboradores da campanha estão convidados a participar.

A Campanha ReNordestando, lançada no final do ano passado, tem como objetivo contribuir para a recuperação dos biomas do Nordeste brasileiro. A meta é de plantar 200 mil mudas nativas com o apoio de pessoas físicas e jurídicas somente em 2019. Cada doação de R$ 10 corresponde ao plantio de uma muda, já que o valor também cobre, além da planta, o processo de produção, transporte, plantio e manutenção da área que recebe o plantio. Quem quiser ajudar, basta fazer a doação pelo site www.cepan.org.br.

cadeia produtiva
Produção de mudas

Cadeia produtiva

A iniciativa também movimenta a cadeia produtiva da restauração florestal gerando oportunidades socioeconômicas nos dois biomas, ao mobilizar diversos setores da sociedade civil, desde viveiristas florestais e proprietários de terra, até o público em geral, que contribui com suas doações.

Segundo o diretor-presidente do Cepan, Severino Ribeiro, as áreas prioritárias para a restauração florestal são mapeadas levando em conta uma série de variáveis sociais, econômicas e ecológicas. Depois do plantio inaugural do programa, esta semana, as ações seguintes estão previstas para ocorrer no município de Bonito (Pernambuco), também em uma área de Mata Atlântica, e numa área de Caatinga do estado da Paraíba, em março.

Remanescente de Mata Atlântica nordestina
Remanescente de Mata Atlântica nordestina

Biomas ameaçados

Tanto a Mata Atlântica quanto a Caatinga são biomas de extrema importância para a população nordestina – já que deles dependem sua segurança hídrica, energética e alimentar –, e estão vulneráveis às mudanças climáticas, com sua biodiversidade sob forte ameaça. Segundo o Cepan, “muitos dos serviços prestados por estes ambientes, como a provisão de água, polinização e amenização do clima, poderão ser perdidos em breve, se nada for feito”.

Campanha ReNordestando:
www.cepan.org.br/campanharenordestando/
Telefone: (081) 3423 5851