Ela tem 5 quilos, 27cm de altura, 30cm de cintura, cabelos longos e sedosos e uma elegância ímpar. Alba, nome artístico de Lapinus Miami Ink, tem 1 ano e meio e é um cão de crista chinês, uma raça exótica e bastante rara em Pernambuco (apenas um casal, em Aldeia, tem criação), e de um mês para cá tem vivido seus dias de fama.

Primeiro, participou de um ensaio fotográfico de moda para a revista Catarina, clicada por Rafael Cietto. Dias depois foi convidada a participar de um programa dedicado à diversidade das raças caninas, na Tevê Jornal, representando a categoria de cães exóticos. Já quase celebridade, Alba se prepara para aceitar um novo convite, agora para fotos publicitárias.

Alba na revista de moda Catarina
Alba na revista de moda Catarina. Até dormiu durante o ensaio

“Ela é um sucesso. Além de fotogênica, fica muito tranquila durante a sessão de fotos. Até dorme no colo do modelo!”, derrete-se a dona, Camila Carvalho, que prefere ser chamada de “mãe”. Ela e o marido, Sérgio Pinho Alves, são criadores cinófilos (leia matéria por aqui) e apaixonados pelos 12 cães de crista chinês que têm atualmente. Como cinófilos, não têm interesse comercial com a criação, mas dedicam grande parte de suas vidas a cuidar dos cães, levá-los para exposições e a buscar o melhoramento da raça.

Na gravação de um programa de tevê
Na gravação de um programa de tevê

Em Aldeia tem “veterinário da família”

Alba, por exemplo, é a cadela que está em campanha este ano. Isto significa que ela é a representante do Argo´s Legacy Kennel, canil de Camila e Sérgio, nas competições da Federação Brasileira de Cinofilia. No início de junho ela desfilará na exposição “Américas y El Caribe”, que acontece em Fortaleza, e pode repetir o feito de outros cães do casal, que venceram competições nacionais em anos passados.

Com Camila, sendo avaliada numa competição
Com Camila, sendo avaliada numa competição. Foto: Fábio Staudinger

Cuidados de beleza

Para manter a beleza, Alba recebe os cuidados diários da mãe Camila: hidratação da pele e escovação do pelo; e, semanalmente, banho e hidratação dos pelos. Quando vai desfilar, a cadelinha ainda recebe uma tosa especial da raça, descoloração de algumas partes do pelo que estiverem amareladas e um penteado bem bacana.

A elegância da cadelinha chama a atenção
A elegância da cadelinha chama a atenção. Foto: Fábio Staudinger

Além do tratamento de beleza, Alba tem uma rotina diária de treinos. Como todo cão de pista, para participar das exposições ela precisa treinar movimento, marcha com guia, postura e bom comportamento. Ela precisa saber se portar bem diante do avaliador, aceitar ser examinada sem se movimentar, e manter um porte elegante durante toda a exibição.

Camila e Sérgio mostram um dos exercícios diários de Alba. Foto: Tatiana Portela
Camila e Sérgio mostram um dos exercícios diários de Alba. Foto: Tatiana Portela

Segundo Camila, apesar de ser uma rotina diária de cerca de 20 minutos, o treinamento tem que ser divertido para o cachorro, nunca uma obrigação. “Se ele não estiver com vontade de treinar num dia, a gente não força. Porque se ele encarar como obrigação, não vai mais aceitar os comandos e não vai ter jeito”, explica Camila.

Cães de crista chinês

Por sua aparência pouco comum, os cães de crista chinês causam reações diversas. Há quem os ache lindos, há quem os ache horrorosos. Existem diferentes tipos de pelagem na mesma raça: os peludos e os pelados. E entre os pelados, há o tipo true hairless e o tipo rare hairless, totalmente ou parcialmente sem pelos. Interessante é que podem nascer pelados e peludos numa mesma ninhada. Alba é uma rare hairless (que tem mais pelos, entre os pelados) e por isso, apesar de dar mais trabalho para cuidar, é um cão muito mais vistoso, com uma cabeleira vasta e exuberante.

As versões pelado e peludo, que podem nascer numa mesma ninhada
As versões pelado e peludo, que podem nascer numa mesma ninhada

Os cães de crista chinês são ótimas companhias e muito apreciados pelas crianças. Embora tenham temperamentos diferentes de animal para animal, essa raça geralmente é muito calma e chegada a colo. “Aqui em casa é uma guerra, quando soltamos os doze de uma vez, porque todos querem nosso colo. Faltam braços para acariciá-los”, diverte-se Sérgio.

Sérgio rodeado pelas fêmeas da família canina
Sérgio rodeado pelas fêmeas da família canina

Depois de dois anos e meio de “profissão”, os cães de exposição se aposentam e passam a viver uma vida normal. “Vida de cachorro”, como diz Camila. Aí então ficam liberados para cruzar, ter seus bebês e propagar seus maravilhosos e preciosos genes. Afinal, um filhote de boa qualidade e procedência, do tipo pelado, pode chegar a custar até R$ 5 mil.

? Argo´s Legacy Kennel
?Rua Blumenau, 45, km 12 (Primeira à esquerda na Estrada da Munguba sentido Aldeia/São Lourenço)
?Fones: 81 99129.5345 / 81 99977.8204
? Email: contato@argoslegacy.com.br

?