Psiquiatras e profissionais da Saúde Mental de todo o Brasil encontraram-se de 17 a 20 de outubro em Brasília para o XXXVI Congresso Brasileiro de Psiquiatria. Este ano, o evento foi ainda mais especial com o reforço do XXX Congresso Latino Americano de Psiquiatria, que ocorreu simultaneamente.

Presentes no evento, três psiquiatras da pernambucana Clínica Hospitalar Novo Nascer, que funciona em Aldeia, destacaram que a espiritualidade e a religiosidade como aliadas no tratamento psiquiátrico foi dos temas mais discutidos em ambos os eventos.

Leia também:

Tratamentos em Saúde Mental: onde estamos hoje em dia?

Pesquisas apresentadas mostraram que intervenções baseadas em espiritualidade e religiosidade aliadas a tratamentos convencionais têm taxas mais altas de eficácia. “Não é que precisamos prescrever religiosidade, mas devemos estimulá-la para aqueles que já a tem como opção terapêutica adjunto aos tratamentos convencionais”, pondera o psiquiatra Alexandre de Rezende Pinto, supervisor do Programa de Residência Médica em Psiquiatria da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Outros temas abordando formas diferentes de trazer a superação para dentro do tratamento também ganharam espaço na grade da farta programação, que chegou a mais de 300 horas de aulas, palestras, conferências, simpósios, sessões de “Como eu trato/faço” e debates com foco na melhor programação científica.

“Devemos olhar mais para o bem-estar mental do que somente para as doenças de Saúde Mental”, afirmou o presidente da Associação Mundial de Psiquiatria, o paquistanês Afzal Javed em sua palestra sobre “O futuro da psiquiatria”.