Sete alunos da Escola Municipal São José, no Vera Cruz (Aldeia), passaram para a segunda fase da Olimpíada Nacional de Matemática, da qual participam escolas públicas e privadas de todo o país. Um deles, Caio Gabriel, de 11 anos, tirou nota máxima, não errando uma questão sequer. O bom desempenho dos estudantes tem explicação: desde o início do ano passado a São José adotou a pedagogia Escola da Escolha, que já está presente em outras 14 escolas pernambucanas e vem apresentando resultados animadores.

Quem conta é a diretora da escola, Maria Libertina de Souza Monteiro, ou simplesmente Tina. “Nossa escola foi uma das escolhidas pelo Governo do Estado como piloto para esse novo modelo de pedagogia, que tem como foco as escolhas dos alunos. A partir de então, a escola passou a funcionar em tempo integral, os professores passaram a ter uma postura mais proativa e os alunos passaram a se apropriar do espaço escolar”, resume.

Equipe de alunos e professores da São José, além da diretora Tina (segunda em pé da esquerda para direita)
Equipe de alunos e professores da São José, além da diretora Tina (segunda em pé da esquerda para direita)

De acordo com a diretora, os quase mil alunos da escola têm uma jornada de 7 horas e meia de aula por dia e direito a três refeições. Além da base curricular comum, eles têm mais cinco disciplinas da base complementar, em que é levado em conta o projeto de vida de cada um. “Não é que um aluno de tão pouca idade vá saber o que quer para a vida, mas já começa a se trabalhar numa perspectiva de ser protagonista de suas escolhas e de seu próprio estudo”, diz Tina.

Entre outras atividades, os alunos têm grupo de teatro, banda e aulas de esportes como judô e futebol. Além dos 858 matriculados no ensino integral, outros 150 alunos com dificuldades de aprendizagem e em situação de vulnerabilidade social frequentam o programa Mais Educação, que oferece três horas/aula diárias a mais de estudos.

Esforço conjunto

Depois que a São José foi escolhida para adotar o Escola da Escolha, todos os funcionários – da merendeira à diretoria – foram orientados a assumir uma nova postura. O objetivo é tornar a escola um ambiente agradável, um lugar onde o aluno se sinta bem e queira estar. Projetos como o da horta escolar, de transformação de óleo de cozinha em sabão, que já renderam prêmios à escola, terminam por trazer também a comunidade para dentro da São José.

Resultados

Ansiosa com o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), previsto para ser divulgado até outubro, a professora Tina diz que vai ser mais um termômetro do trabalho que vem sendo desenvolvido. “Todo resultado em termos de educação vem a longo prazo, mas o Ideb já serve como um parâmetro para sabermos se estamos mesmo na direção certa”, alegra-se.

Por enquanto, a São José comemora o resultado de seus alunos de 6º e 7º anos na Olimpíada de Matemática, a queda na taxa de reprovação de 38% para menos 10% em um ano, e atual taxa de evasão escolar, que é menor que 1%.