Cinthia Lima*

Neste 17 de março comemoramos os 8 anos de criação da Área de Proteção Ambiental (APA) Aldeia-Beberibe, resultado de intensa mobilização social para garantir a proteção dos remanescentes florestais e dos mananciais da região de Aldeia, importante área de recarga hídrica da RMR e um dos principais refúgios de espécies de Mata Atlântica no Nordeste.

Após sua criação, em 2010, a CPRH instituiu o Conselho Gestor da Unidade e iniciou o processo de contratação e elaboração do Plano de Manejo, aprovado em 2013, que estabeleceu as diretrizes para a gestão de seu desafiador território de 31.634 hectares, englobando 8 municípios – Recife, Camaragibe, Paudalho, São Lourenço da Mata, Paulista, Abreu e Lima, Igarassu e Araçoiaba, cujos Planos Diretores já demonstravam interesse na preservação dos recursos naturais daquela região.

Preservar Aldeia é um dever de todos. Informe-se e denuncie!

Várias atividades previstas no Plano de Manejo da Unidade estão sendo viabilizadas através dos projetos em execução, sob a coordenação da CPRH e do Conselho Gestor, que contribuirão para a gestão e para o cumprimento dos objetivos de conservação dos recursos naturais que justificaram a sua criação. Tais projetos deixarão importantes legados, como a instituição de corredores ecológicos, a implantação de viveiro florestal para produção de mudas de espécies nativas da Mata Atlântica e a formação de agentes de educação ambiental que propagarão os conhecimentos de restauração florestal recebidos nas capacitações.

Além disso, a fiscalização no território da APA tem sido intensificada desde 2015, visando coibir desmatamentos ilegais, queimadas, loteamentos irregulares, caça e posse de animais silvestres, barramentos de cursos d’água, etc. No entanto, ainda existem grandes dificuldades para a gestão, sobretudo quanto ao dimensionamento da equipe gestora da Unidade de Conservação (UC).

Apesar da difícil realidade nacional para a gestão de UCs, sobretudo as de Uso Sustentável, temos conseguido avançar em direção aos objetivos da APA Aldeia-Beberibe. Tal feito é, sem dúvidas, mérito da mobilização da sociedade civil, que através de sua organização, consciência ambiental e articulação política, vem cobrando, ao longo dos anos, ações concretas do poder público, ressaltando a importância do componente social para a governança de áreas protegidas.

*Cinthia Lima é bióloga e mestre em Biologia Vegetal pela UFPE, gestora da APA Aldeia-Beberibe e assessora especial da presidência da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH).