Poucas são as costureiras em Aldeia e muita é a demanda por seus serviços. O PorAqui só conseguiu localizar duas profissionais, ambas no Vera Cruz, que costuram absolutamente tudo: de fardamento escolar a vestido de festa; e dois serviços de consertos e reparos, na Estrada de Aldeia. Confira:

Cecília

Cecília
Cecília costura de tudo um pouco

Cecília Maria Borba costura desde os 18 anos, quando fez um curso de corte e costura no município de Vicência, onde morava. Desde os 19 vive em Aldeia e aqui formou uma clientela cativa para quem costura roupas, fardamento de igreja, fantasias para eventos escolares, almofadas e cortinas. “Costuro de tudo um pouco”, revela.

Por peças básicas, Cecília cobra em torno de R$ 30 (calça feminina) e R$ 35 (calça masculina), R$ 40 (vestido simples) e R$ 15 (almofada pequena).

Seu ateliê funciona na casa onde ela mora, na rua Roberto Simonsen, 155 (em frente ao Cemec de Vera Cruz) e o telefone é (081) 99199-8887.

Aldeia Atelier

Lourdes
Lourdes costura desde pequenininha quando fazia as roupas de suas bonecas

Lourdes Pereira, do Aldeia Atelier, aprendeu a costurar bem pequena, quando fazia roupinhas para suas bonecas. Depois se profissionalizou, num curso ministrado pelo Sesi, e de lá pra cá trabalhou em grandes empresas como Percol e Cordeiro, e tem seu próprio negócio em Aldeia há pelo menos 15 anos.

Ela também costura todo tipo de roupa, estofado, lençol, e todo tipo de tecido, inclusive malha. Por um vestido simples ela cobra R$ 50; por uma calça masculina, R$ 50; e por uma calça feminina, a partir de R$ 30, dependendo do modelo.

O ateliê fica na rua principal do Vera Cruz, e o telefone é (081) 99766-0458.

Minha Costureira

Ladjane
Ladjane abriu sua lojinha de Aldeia há três meses e está bastante otimista

No segmento de ajustes e reformas de roupas, o PorAqui descobriu duas lojinhas na Estrada de Aldeia. Uma delas, no km 9, é a Minha Costureira, que fica em frente ao Condomínio Divinópolis. Funcionando há apenas três meses, a loja é a segunda aberta pela empresária Ladjane Lima (a outra fica na Caxangá e já tem dois anos de existência).

Os principais serviços são de bainha, trocas de zíperes e botões, customização de abadás e confecção de fantasias, mas ela também ajusta paletós e vestidos finos. Uma bainha simples sai por R$ 15 e um serviço mais delicado, de ajuste num vestido de festa, por exemplo, pode chegar a R$ 70.

Estrada de Aldeia, km 9 – (081) 99769-3738

Agulha Mágica

Lêda diz que a demanda é imensa
Lêda diz que a demanda é imensa

Instalada no km 9,5 há cinco anos, Lêda Tavares costura desde os 11 anos de idade, quando fez sua primeira blusa, em chita, sob a supervisão da mãe, também costureira. No ateliê Agulha Mágica, ela se dedica a ajustes e consertos, que diz dar mais prazer e maior rentabilidade. Ela conta que há clientes que chegam trazendo malas de roupas para reformar. Dependendo do volume de serviço e da complexidade do ajuste, ela pode entregar a peça na hora ou dar um prazo de até oito dias.

Os preços variam muito e tudo depende do grau de dificuldade e tempo de trabalho despendido. Ela explica, por exemplo, que uma calça jeans com muitos pespontos dá um trabalho enorme para não transparecer que foi ajustada.

Estrada de Aldeia, km 9,5 (em frente a Zé do Mé) – (081) 98441-0614 e (081) 98195-5145

E você? Conhece mais alguma costureira em Aldeia? Deixe aqui a sua dica!