A partir do dia 5 de julho os moradores da PE-016, conhecida como Estrada da Mumbeca, na Guabiraba (liga Aldeia à BR-101 na altura do km 13), passarão a contar com vans que vão circular das 6h30 às 20h no trecho que vai da Bola na Rede até o km 7, onde o Recife faz limite com Camaragibe.

A estrada é sinuosa e não tem acostamento. Um problema para pedestres e ciclistas
A estrada é sinuosa e não tem acostamento. Um problema para pedestres e ciclistas

A novidade é uma conquista da Associação de Produtores e Residentes da Mumbeca (Aprume), que funciona há nada menos que 32 anos e foi responsável pela articulação de obras como a pavimentação e a iluminação daquela via.

Abandono: é essa a Aldeia que nós amamos?

Ao longo da Estrada da Mumbeca funcionam diversos condomínios, granjas, escolas, templos religiosos, e empresas como águas minerais, cervejarias artesanais e fábricas de bolo e de polpa de frutas. Muitos moradores, estudantes e trabalhadores circulam por ali e têm grande dificuldade por terem que andar a pé numa estrada sinuosa e sem acostamento. O transporte, que começará de forma experimental, vai medir o fluxo de passageiros e poderá se expandir até o final da rodovia e pelas vias vicinais.

“Conseguimos, com Júnior de Cleto, representante do transporte complementar, que essas vans com 20 lugares façam o trajeto de meia em meia hora no horário de pico e de hora em hora nos demais horários enquanto testamos o fluxo de passageiros”, explica Eduardo Alves, presidente da Aprume.

“Num segundo momento faremos contato com as empresas localizadas nas vias vicinais e também com os granjeiros, condomínios e empresas localizadas no trecho pertencente a Camaragibe e, se houver, interesse, tentaremos expandir a cobertura do transporte para toda a rodovia e arredores”, diz Alves.

Aprume

A Associação de Produtores e Residentes da Mumbeca funciona há 32 anos e tinha como objetivo inicial a pavimentação da via, que só veio a acontecer há menos de dez anos. O atual presidente conta que antigamente ela atuava muito em função do fomento da produção local junto aos órgãos públicos. Na região, segundo ele, havia muita produção de frangos, ovos e frutas como laranja e graviola.

“De uns tempos para cá a região tornou-se mais residencial e a Associação tomou para si outras preocupações, como a segurança da comunidade. Este ano conseguimos a iluminação do trecho entre Bola na Rede e o km 7 (pertencente a Recife) e estamos negociando a implantação de cinco postes do programa De Olho em Aldeia, de monitoramento da estrada com câmeras de segurança”, diz.

Ainda de acordo com o presidente, a Associação também está lutando pela construção da calçada da escola estadual até Bola na Rede e pelo acesso à pista norte da BR-101, para quem sai pela Estrada da Mumbeca.