Com o dobro do tamanho do Parque da Jaqueira, o parque da Prefeitura de Camaragibe no km 11 da Estrada de Aldeia está perto de voltar a servir à população. Quem passou por lá nos últimos dias percebeu que o muro foi pintado e o mato foi capinado. Até as esculturas de dinossauros, que fazem parte do antigo projeto de Espaço do Saber e estavam cobertas pelo mato, voltaram a aparecer (foto em destaque). Mas, calma. O parque ainda está embargado pelo Ministério Público e CPRH.

O secretário de Planejamento e Meio Ambiente (Seplama) de Camaragibe, Paulo Willton, explica que a limpeza e pintura foram feitas para que a população que continua utilizando o local para caminhadas tenha um pouco mais de segurança, e ao mesmo tempo outras providências estão sendo tomadas para que o parque possa finalmente ser equipado para se tornar o primeiro espaço público de convivência, esportes e lazer da comunidade aldeiense.

A capinação preservou as árvores existentes no terreno do parque
A capinação preservou as árvores existentes no terreno do parque

Para derrubar o embargo, explica o secretário, um novo projeto teve que ser elaborado pelos arquitetos da Seplama atendendo às exigências de que não haja edificações próximas à nascente do Rio das Pacas. Antes de apresentar o novo projeto às duas instituições, a Prefeitura o levará – na segunda-feira 17/9, às 18h30, no auditório da Prefeitura – à apreciação de uma comissão formada por membros da sociedade civil (Fórum Socioambiental, Espaço do Saber Resiste e comunidade do Vera Cruz) e poder público (secretarias municipais de Planejamento e Meio Ambiente, Infraestrutura e Educação).

“Depois de discutido e aprovado pela comissão, vamos encaminhar o novo projeto para os órgãos competentes e, assim que o embargo for retirado, vamos partir para a captação de recursos para a construção dos equipamentos do parque”, explica Paulo Willton.

Prefeitura de Camaragibe anuncia que o parque de Aldeia voltará a funcionar

O muro, caiado,
O muro, caiado, já deu uma nova impressão do parque, há tantos anos abandonado

O novo projeto retira do perímetro da nascente as edificações antes previstas e inclui a preservação de cerca de dois hectares de mata. Desses, 1,2 hectare será reflorestado pela Secretaria Estadual das Cidades como compensação ambiental pela construção de quatro estações do BRT e ampliação do Terminal de Passageiros. De acordo com Paulo Willton, o novo projeto mantém 80% do que era previsto no original, que inclui, entre outros elementos, uma academia das cidades, biblioteca, teatro de arena, observatório de pássaros, jardim sensorial e outros. Foram acrescentados alguns equipamentos de lazer e de cultura.

Ele adianta ainda que a proposta da Prefeitura é de que haja uma consulta popular para se definir o nome do parque, hoje conhecido como Espaço do Saber, Parque Camará, Parque Municipal, Parque dos Dinossauros e Parque de Aldeia. “Queremos ouvir a comunidade, seja por uma enquete na internet, seja de outra forma. O importante é que a população participe e se aproprie do espaço”, diz.