Nesta quarta-feira (31/5), uma parte da PE-27 – bem no alto da ladeira, nas imediações do km 1,8 – apresentou rachaduras, representando um sério perigo não só para quem passa pelo local como, principalmente, para a população que vive naquela área, metros abaixo, conhecida como Santa Cruz.

No início da noite, o trânsito foi desviado pela Prefeitura para evitar o impacto do grande fluxo de veículos sobre a pista ameaçada. Até que a situação se normalize, os veículos que se dirigem ao Recife serão desviados, na descida, por Tabatinga, passando pela Baixinha, até a Vila da Fábrica. Segundo a Secretaria de Comunicação de Camaragibe (às 20h52), engenheiros da Prefeitura estão monitorando a situação e o DER já foi contactado para tomar as medidas necessárias o quanto antes.

O problema que culminou na interdição de parte da estrada, segundo alguns moradores, era previsível, diante do descaso das autoridades com a conservação da rodovia. Mal começaram as chuvas e os moradores de Aldeia já podiam ter uma ideia do que viria à frente. Buracos cada vez maiores se formando na estrada (sobretudo na ladeira), carros precisando fazer desvios perigosos, acostamentos interditados ou alagados e transtornos de toda espécie para motoristas, ciclistas e pedestres. Algumas “crateras” vêm de anos, são velhas conhecidas dos moradores, mas tanto essas quanto as mais recentes representam grande risco, ainda mais quando estão encobertas pela água.

Buracos na pista
As crateras vão se aprofundando a cada dia e, cobertas por água, ficam ainda mais perigosas. Foto: Tatiana Portela
Acostamentos alagados
Os acostamentos alagados atrapalham ainda mais a vida dos ciclistas. Foto: Tatiana Portela

De acordo com a Prefeitura de Camaragibe, a responsabilidade pela manutenção das rodovias estaduais é totalmente do Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Segundo o secretário municipal de Infraestrutura, Silvano Jackson, “não existe convênio entre o município e o governo do estado para tapar buracos na PE-27 (Estrada de Aldeia) nem na PE-05 (rodovia na entrada da cidade que dá acesso à ladeira de Aldeia).

O DER, ao ser questionado, emitiu a seguinte nota: “Neste momento, a Secretaria Estadual de Transportes está mobilizada em garantir o direito de ir e vir à população de Pernambuco, principalmente a que reside nos 24 municípios da Mata Sul e do Agreste – mais atingidos pelas chuvas que castigaram o Estado nos últimos dias. Cerca de 250 homens estão trabalhando para desobstruir as vias. Os serviços de manutenção de estradas em outras localidades só serão retornados após as chuvas cessarem. O cronograma do Departamento de Estradas de Rodagem prioriza as estradas que apresentam situações mais emergenciais”.

Estrada de Aldeia esburacada
Há inúmeros trechos com problemas, tanto no asfalto como no acostamento. Foto: Tatiana Portela

Preocupados com a situação da Estrada – que já é perigosa em épocas normais, pela quantidade de curvas acentuadas e longas retas que permitem altas velocidades, além de acostamentos irregulares, invadidos e esburacados –, moradores têm usado os grupos de WhatsApp para alertar sobre os perigos de certos trechos e o surgimento de novos buracos.