Boas notícias para os moradores de Aldeia: o parque municipal de Camaragibe, aquele que fica no km 11 e já foi pauta poraqui diversas vezes, finalmente recebeu a licença de instalação da CPRH. Agora até já recebeu uma capinação (que melhorou bastante a situação para quem o utiliza para fazer caminhadas), e espera, para o próximo mês, o início da construção de um viveiro de mudas de árvores nativas. Nesse viveiro serão plantadas as sementes que vão reflorestar o próprio parque e todos os moradores da região estão convidados a participar do plantio.

Uma simples capinação já fez a diferença para quem utiliza o parque hoje
Uma simples capinação já fez a diferença para quem utiliza o parque hoje

“Agora em abril a Prefeitura espera instalar a infraestrutura de água e luz para que o consórcio Cepan, IE Garanhuns e CPRH possa começar a preparação do terreno para a construção do viveiro. Ao mesmo tempo, um grupo de 50 pessoas está sendo formado como viveiristas para nos ajudar na coleta de sementes e plantio das mudas”, explica o diretor de Meio Ambiente de Camaragibe, Célio Muniz.

De semente em semente, casal luta para salvar a Mata Atlântica

Campanha ambiental

Dentro de mais ou menos um ano, segundo o diretor, o viveiro passará a ser gerido pela Prefeitura de Camaragibe e então uma ampla campanha de educação ambiental será feita para convocar a sociedade a se apropriar do parque, criando laços afetivos com ele e despertando para a importância de se preservar a Mata Atlântica.

Leiaute dos equipamentos previstos para o parque no projeto da Prefeitura
Leiaute dos equipamentos previstos para o parque no projeto da Prefeitura

“Pensamos em levar a campanha para as escolas e chamar também as famílias para colherem sementes em suas granjas, condomínios e comunidades. E que depois venham passar um dia com seus filhos e plantar uma árvore, que vai ter uma plaquinha identificando quem a plantou e um dia vai fazer sombra para quem for caminhar pelo parque”, diz ele.

O parque, que ainda não tem um nome definitivo, mas é conhecido como Espaço do Saber, tem 8 hectares de área, e o viveiro ocupará 2.500 metros quadrados deste total. Ali, a meta é produzir 100 mil mudas por ano, com sementes colhidas do banco genético da própria APA Aldeia-Beberibe em áreas remanescentes de mata, como as do CIMNIC e da Usina São José, e de áreas verdes dos condomínios.