De que forma uma escola pode ajudar no desenvolvimento de criancinhas de 1 a 2 anos de idade que ainda estão começando a andar e a falar? Com essa provocação, a equipe de educadores da Escola Internacional de Aldeia se colocou o desafio, dois anos atrás, de criar uma turma de Pré-Maternal e atender a uma demanda crescente dos pais que têm filhos maiores na escola e gostariam que seus filhos menores também iniciassem sua vida escolar na EIA.

“E foi assim que, após 38 anos de existência, a EIA passou a oferecer à comunidade de Aldeia um projeto pedagógico voltado exclusivamente para essa faixa etária”, explica Ana Lúcia Mendonça, coordenadora da área. O primeiro passo, segundo ela, foi preparar um espaço todo especial: duas salas amplas, confortáveis e acolhedoras, que também contam com cozinhas totalmente equipadas para preparar ou guardar os alimentos trazidos pelos pais.

Cada sala atende em período integral a, no máximo, 12 crianças assistidas por uma professora e três auxiliares permanentes além das volantes que ajudam nas horas do banho e das refeições. Nessas salas, e nos amplos espaços verdes da escola, os pequenos recebem estímulos sensoriais, motores e afetivos para que desenvolvam suas habilidades, num ambiente rico em atividades que incluem brincadeiras, vivências culturais, músicas e histórias, além de estimulação motora para promover seu desenvolvimento físico.

Inglês

Como o ensino do Inglês é um dos pontos fortes da EIA, ele já começa no Pré-Maternal. A professora Hericka Santos é quem conta que os pequenos reproduzem o novo idioma com pronúncia e entonação adequadas, tornando-os futuros falantes da língua sem o sotaque brasileiro.

“Ensinar Inglês para criancinhas tão pequenas é uma coisa muito mágica”, diz Hericka. “A gente tem que verbalizar muito e fazer todos os movimentos e gestos para ensiná-las, por exemplo, a se levantar e se sentar, dando comando em inglês. E elas vão aprendendo, muitas vezes, antes mesmos de falar fluentemente o português. Outro dia me surpreendi quando numa aula com massinhas, uma aluna bem pequena me entregou um pouco de massa e disse ‘make a ball’. Diante do meu espanto, outro aluno pediu: ‘make a pizza’. Fiquei muito emocionada, diverte-se professora.

Pais

Isabelh e Luiz, pais de Bia e Victor: “sentimos muita tranquilidade em deixá-los aqui”

Se para a criança, ir à escola tão cedo tem como vantagem o ganho em autonomia e independência, para os pais a tranquilidade de deixá-las num local seguro e acolhedor é fundamental. O casal Isabelh e Luiz Oliveira, pais de Bia (5 anos) e Vitor (1 ano e meio), conta que tem total confiança na escola e que os filhos adoram estar lá.

“Eles se acordam felizes para ir para escola. O pequeno já pega a bolsa querendo sair, logo cedo. Para mim, essa é a melhor resposta sobre a escola. É a melhor prova que eles estão em boas mãos e de que o ambiente é acolhedor”, diz o pai, satisfeito. “Fico muito tranquila, porque a escola sempre nos manda relatos detalhados de como as crianças se comportaram e, se há qualquer problema, nos ligam avisando” completa a mãe.

Mas nem todos os pais e mães passam com tranquilidade pelo momento de deixar o filho na escola pela primeira vez. É quando a escola entra para dar suporte a esses pais, passando orientações e conquistando a confiança deles. Diz a coordenadora Ana Lúcia: “Muitas mães têm o desejo ou a necessidade de botar o filho na escola, mas ficam inseguras. A gente mostra a elas que aqui a criança é acolhida com carinho e cuidado e os próprios pais terminam se tornando nossos amigos e têm em nós o apoio que necessitam para ajudar seus filhos a crescerem felizes”.

Alguns depoimentos de pais de alunos do Pré-Maternal

Carolina Araújo e Marconi Pinheiro (Pais de Miguel Ferreira Pinheiro de Mendonça)

Ao optar pelo EIA, acreditamos numa proposta de trabalho que traduzia elementos didático-pedagógicos claros, coerentes com uma formação integral e humana do indivíduo. Ao visitar a escola as primeiras vezes, em 2016, comentamos o quanto a EIA tinha cara de escola do “mundo real”. Era possível ver, nos trabalhos expostos nos corredores, um pouco de cada aluno. Isso nos encantou.

Apostamos num projeto de educação em longo prazo, mesmo sabendo que o “projeto pré-maternal” era algo recente na escola. Quando olhamos para Miguel, hoje, é possível reconhecer como o trabalho realizado pela escola tem surtido efeitos positivos sobre ele. Volta e meia nos pegamos comentando sobre o comprometimento da equipe, da forma carinhosa e acolhedora com que tratam as crianças, da responsabilidade que têm com a alimentação, com a higiene etc., sem descuidar das atividades pedagógicas.

Como nos emocionamos a cada reunião em que vamos à escola e vemos as atividades produzidas por nosso pequeno! Não… Não é só um berçário, um hotelzinho pra Miguel ficar enquanto trabalhamos. A EIA realiza um trabalho pedagógico sério com os pequenos do pré-maternal, e que reflete muito planejamento, seriedade e princípios muito humanos. Não conseguimos resumir numa só palavra a satisfação que temos com a escola, em especial, com as professoras e cuidadoras de Miguel, que materializam a proposta da escola no dia a dia dos pequenos.

Ana Cecília (Mãe de Mariana Espíndola)

Como mãe de primeira viagem, tive meus receios quando decidimos colocar Mariana na escola. Mas o trabalho cuidadoso, desenvolvido pelos profissionais da EIA, logo nos mostrou que havíamos feito a escolha certa.
Fico tranquila ao deixá-la na escola com a certeza da atenção, do carinho e do amor que Mariana, como também as outras crianças, recebem de Tia Regina e de todas as auxiliares.

Patrícia Galindo (Mãe de Guilherme e Gustavo)

Meus filhos começaram a estudar na EIA este ano. No período da adaptação, coração apertado, preocupação de mãe. Mas super tranquila, porque fomos super bem acolhidos, percebemos o carinho, o cuidado e a dedicação da equipe por cada criança, desde a entrada na portaria, aos donos da escola, super acessíveis, pessoas maravilhosas, profissionais sérios, qualificados e, acima de tudo, amam o que fazem.

Nara (Mãe de Miguel Torres Pereira)

Este ano nosso filho Miguel iniciou sua vida escolar. E a escola foi escolhida com o coração. Meu esposo é ex-aluno EIA. Não teria referência melhor.

No início, fiquei super apreensiva. Não sabia como seria a reação/adaptação de Miguel e nem a minha. Tudo transcorreu muito bem, graças a Deus. Nos adaptamos à nossa nova rotina. E o fato de confiar em deixar Miguel lá, fazia com que ficasse tranquila.
Miguel ama ir pra escola e isso é o melhor indicativo para mim de que é muito bem tratado lá. Aprendeu e evoluiu muito desde que começou. Nossas expectativas foram superadas.

Tais Acioly (Mãe de Luiz Bernardo)

Foi uma experiência maravilhosa o primeiro ano de escola de Bernardo. Eu me sentia muito insegura de deixá-lo com outras pessoas, sem estar por perto. Deixá-lo com pessoas que eu não conhecia, estava fora de cogitação. Mas, desde a primeira visita à escola, quando fui conhecer a salinha do pré-maternal, já me apaixonei….

Então chegou o dia de Bernardo ir para escola. Estávamos todos muito apreensivos, mas fomos muito bem acolhidos (pais e bebês), com as tias cheias de amor e paciência para os pequenos… e Bernardo se encantou! Com a escola, com os amiguinhos, com o carinho das tias… foi um período de adaptação muito tranquilo e fácil.

Esse primeiro contato com a escola não poderia ter sido melhor! Hoje somos muito tranquilos em deixar Bernardo na escola, ele vai feliz, as vezes não quer nem voltar pra casa. Chega cheio de novidades, ajudou muito no desenvolvimento dele, e tudo isso graças à escola e àquelas que estavam todos os dias com ele, com amor, carinho e paciência de sobra pra dar.

Leiliane e Eduardo Silvestre (Pais de Maria Eduarda)

Não foi fácil escolher a escola da nossa pequena Duda sendo pais de primeira viagem. Até hoje, lembro das dúvidas e angústias. Ouvíamos muito falar da EIA, mas pensávamos que seria melhor para a educação dela uma escola menor. Mesmo assim, fomos conhecer e foi encanto à primeira visita. Nos surpreendemos com a estrutura, organização, segurança, limpeza, confiança e credibilidade que nos foi passada.

Passamos pela semana de adaptação angustiados, achando que ela não se adaptaria, nos apavorando com tudo. E fomos tranquilizados o tempo todo, pela professora e auxiliares, de que estava tudo dentro da normalidade. Imaginem a paciência delas! Acho que 99% dos pais éramos de primeira viagem!

Na segunda semana, foi inacreditável ver todos os bebês dormindo ao mesmo tempo (“é milagre!”). Duda tem evoluído muito depois que entrou na escola, está cada dia mais esperta e mais sociável com as pessoas. Chegou mal sabendo andar; agora corre que ninguém segura, falando, cantando e contando em inglês logo nos primeiros meses.

Luna (Mãe de Lorenzo)

Quando comecei a pensar em uma escola para minha filha mais velha, Lara, pensei em uma escola acolhedora, que tivesse uma proposta pedagógica que combinasse com meu jeito e valores. Como todos os pais, buscamos oferecer o que há de melhor para nossos filhos. Ela estuda na EIA há quatro anos e em 2017 tive a oportunidade de matricular meu filho mais novo, Lorenzo, no pré-maternal. Não tive dúvidas de que seria a EIA o primeiro contato pedagógico do meu filho.

O processo de adaptação dele foi tranquilo. Eu achava que Lorenzo seria o que daria mais trabalho, mas contei com o apoio de toda a equipe da escola, então tudo se tornou mais fácil. Eles são ótimos!

Acredito na proposta pedagógica da escola, a Lara e o Lorenzo estão sempre motivados e vão para a escola felizes da vida. Me sinto realizada por isso! O que mais admiro na escola é a atenção dada pelos profissionais, tratam todos com muito carinho e atenção.

Patricia Pereira de Magalhães (Mãe de Arthur)

Arthur entrou na escola assim que começou a andar, com 1 ano e 3 meses, no período integral. Ele se desenvolveu bastante e foi muito bem acolhido pelas professoras, tias e por todos que fazem parte da escola. Percebemos que a principal preocupação é com o bem-estar e o desenvolvimento da criança.

O ambiente é bastante acolhedor, bastante limpo, dificilmente meu filho fica doente, que era uma das minhas preocupações. A socialização e a alimentação também me preocupavam, pois ele só tinha o convívio da família e da babá, até então. Hoje ele tem uma excelente socialização e se alimenta muito bem.

A cantina está sempre à disposição, com um cardápio balanceado, a infraestrutura é excelente, com parquinho, brincadeiras, cinema, aula de inglês e a natureza sempre presente. A coordenação e as tias sempre são muito atenciosas, nos mantêm sempre informados sobre o que ocorre e sobre o desenvolvimento de nosso filho. Fico tranquila com meu filho no pré-maternal da EIA Kids porque tenho certeza de que ele está feliz.