Todo ano é a mesma coisa: mal começa o ano letivo e os aldeienses têm um motivo para se estressar na Estrada de Aldeia. É o engarrafamento que se forma nas imediações da Escola Internacional de Aldeia (EIA), principalmente das 7h às 8h, quando os pais chegam para deixar seus filhos e um grande número deles precisa atravessar a pista para passar do estacionamento para a escola.

A retenção começa mais ou menos um quilômetro antes da escola
A retenção começa mais ou menos um quilômetro antes da escola

O diretor da EIA, Mike Fryer, diz que está aberto a todas as sugestões que ajudem a minimizar o problema, adiantando três providências que já tomou nessa direção: adquiriu um terreno com capacidade para até 120 carros (do lado oposto à escola) para evitar que professores e pais estacionem na rua; cedeu uma área na esquina da rua da escola para facilitar a entrada dos carros; e disponibilizou sete auxiliares para ajudar o desembarque dos alunos na chegada deles ao colégio.

Sinalização da Estrada de Aldeia em estado crítico

Como o problema é formado pelo fluxo de pedestres que precisam atravessar a PE-27 e a Prefeitura de Camaragibe tem responsabilidade sobre o ordenamento do trânsito, a EIA tem mantido constantes conversas com a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana para encontrar uma forma de diminuir o tempo de retenção dos carros.

Nesta quarta-feira (21), durante um encontro entre o diretor da escola e o secretário Daniel Meira, ficou decidido que o especialista contratado pela Prefeitura para desenvolver o plano municipal de mobilidade será convidado para estudar a situação. A princípio serão avaliadas algumas possibilidades, como a instalação de um sinal para pedestres, a criação de uma alça cortando o terreno da escola que liga a PE-27 à Estrada do Borralho, e a construção de uma terceira faixa (margeando o terreno do estacionamento da EIA).

Transtorno

Enquanto isso, os moradores reclamam. Luciana de Souza Leão, jornalista, passa todos os dias por ali a caminho do trabalho e diz que perde pelo menos dez minutos para andar cerca de um quilômetro nas imediações da EIA. Segundo ela, quando há um guarda de trânsito no local a situação chega a piorar, já que a autoridade tende a parar o trânsito a cada pedestre que se aproxima da faixa.

Outro morador, que preferiu não se identificar, sugeriu que o estacionamento fosse transferido para o mesmo lado da escola, evitando a travessia que retém o trânsito, ou que fosse construída uma passarela sobre a rodovia para a passagem dos pedestres.

E você? Que sugestão tem para resolver o problema do trânsito no km 7? Compartilha aqui!