Vinte e poucas mulheres em situação de vulnerabilidade que moram na comunidade do Rachão, em Aldeia, estarão expondo peças artesanais produzidas por elas a partir das 15h desta sexta-feira, 26, na praça do Vera Cruz. Além da feira, que elas intitularam Arte Mulher, haverá parquinho infantil, peça teatral e a inauguração, às 19h, da nova sede do CRAS V de Camaragibe. O Centro de Assistência Social é a entidade que está promovendo todo o evento.

O artesanato aproveita diversos materiais, como tecido, linhas e flores
O artesanato aproveita diversos materiais, como tecido, papel, linhas e flores

Segundo o secretário de Assistência Social e Direitos Humanos de Camaragibe, Edvaldo José Ferreira Júnior, esta já é a segunda feirinha realizada pelas mulheres do Rachão, que encontram no CRAS uma oportunidade de se capacitar e garantir alguma renda. A ideia é que até o fim deste ano, todos os cinco CRAS do município estejam participando do projeto, promovendo eventos similares ao desta sexta.

Projeto social leva educação e arte a crianças em Aldeia

“O CRAS é a porta de entrada dos cidadãos na assistência social. Aqui em Camaragibe temos cerca de 22 mil famílias em vulnerabilidade social, inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal”, explica o secretário. “Nós queremos, com a feira de artesanato, trazer a comunidade para perto, mostrar que aqui temos atendimento social”.

Além de aprenderem um ofício, elas têm oportunidade de vender seus produtos
Além de aprenderem um ofício, elas têm oportunidade de vender seus produtos

De acordo com Edvaldo Júnior, a nova sede do CRAS V, agora em prédio próprio, tem sala de reunião, duas salas de atendimento, sala da coordenação, dois banheiros e cozinha. Ali trabalharão dois assistentes sociais e um psicólogo, que identificam na comunidade os diversos níveis de vulnerabilidade e buscam soluções para amenizar as dificuldades de cada em sua reinserção à sociedade.