O universo feminino está repleto de mitos – entre eles o da “super-mãe”, também conhecida como “mamãe-polvo” ou até o da “atleta-do-lar”. Sem rótulos e longe de repetir esses estereótipos (que não definem o papel da mulher na sociedade), o fato é que a mulher moderna soma em sua rotina uma série de tarefas e vários desafios. Da vida laboral aos estudos, da administração doméstica às relações familiares, entre tantos outros papéis. Aí vem a pergunta: dá para encaixar o esporte neste turbilhão de atividades?

Com filhos para cuidar, principalmente naquela idade em que o pequeno ainda acorda algumas vezes por noite para mamar, Fabiana Fonte é uma inspiração para as mamães que desejam conciliar a rotina aos cuidados com o corpo e com a mente. Aos 38 anos, a mãe de Luiza (4 anos) e Larissa (1 ano e meio) – também conhecida como Bia – atua como gerente comercial em uma startup no Recife e ainda estuda nas horas vagas. Mesmo diante de uma carga horária apertada, ela conseguiu dar um jeito de encaixar o seu momento de treinamento físico.

“Antes da maternidade, eu tinha uma rotina de treinos intensa e participava de competições. Cheguei a competir em uma prova de Ironman, em 2010 – um triatlo de longa distâncias, onde os competidores, homens e mulheres, largam às sete horas da manhã para percorrer 3.8km de natação, 180km de ciclismo e 42.1km de corrida”, conta. Bia fez o Ironman 2010 em 13 horas, uma marca forte e bem abaixo das 17 horas limite do evento. “Após o evento, eu dei continuidade aos treinos, agora só para manter o equilíbrio do corpo e da mente”.

Bia passou a frequentar academia de ginástica durante a semana, até que um belo dia recebeu a notícia que estava grávida. “Durante a gestação de Luiza, eu ainda conseguiu frequentar as aulas de ginástica, quase até o dia do parto, que foi com nove meses e natural. Já a gestação de Larissa foi um pouco mais complexa, por conta dos cuidados com Luiza, o que acabou não permitindo que eu realizasse uma atividade física em paralelo”, relata.

Treino em casa
Bia conta que depois que as meninas nasceram, tudo passou a exigir um pouco mais de planejamento e disciplina, pois o tempo ficou mais exíguo e a rotina mais cansativa. “Se eu não fosse disciplinada certamente deixaria de treinar, devido ao cansaço que bate nos dias em que não consigo dormir bem.”

Um outro fator que facilitou bastante a gestão do tempo, foi o fato dela ter em casa um equipamento muito curioso, chamado TRX, que é a sigla de Total-body Resistance Exercise (que significa Exercício de Resistência do Corpo Inteiro) um aparelho usado para fazer treinos em suspensão. Com as orientações de um educador físico, ela realiza sua planilha de exercícios em casa e compartilha conosco alguns momentos do treino.

Fotos: Fabiana Fonte

Por Mariana Lobo (Corredora, jornalista e empresária).