Em sua história de lutas, irreverência e articulação política, Brasília Teimosa ainda encontra tempo para ser cenário de obras cinematográficas. É um dos bairros mais referidos em filmes de curta e longa-metragem.

Entre as obras mais destacadas, estão Deus é Brasileiro (2003), de Cacá Diegues; Amor, plástico e barulho (2013), de Renata Pinheiro; Olhos azuis (2009), de José Joffily; Avenida Brasília Formosa (2010), de Gabriel Mascaro, e mais recentemente em Aquarius (2016), de Kleber Mendonça Filho.

Padre Jaime: o missionário americano que lutou pela moradia em Brasília Teimosa

Sem contar o documentário Guia prático, histórico e sentimental da cidade do Recife (2008), dirigido por Leo Falcão, baseado no livro homônimo de Gilberto Freyre. O longa fala também sobre a história do batismo do bairro.

O que causou maior repercussão foi Aquarius, que contém uma personagem que mora no bairro, e uma das cenas é o aniversário dela, na laje da casa dela. Assim como a questão central desse filme de Kleber Mendonça Filho, que é a resistência de uma moradora de um edifício na Av. Boa Viagem, a luta por moradia ronda também as outras rodagens.

Um exemplo é Avenida Brasília Formosa, de Gabriel Mascaro. O longa conta a história de três personagens, sendo dois moradores e um ex-morador do bairro, que teve sua residência transferida para o Cordeiro, na Zona Oeste, por conta da retirada de palafitas que resultou na construção da avenida.

Quais outros filmes rodaram em Brasília Teimosa você lembra? Comenta aí para a gente.