“O Sol brilha para todos, mas eu acordo mais cedo, que é para pegar os primeiros raios”. É assim que Maria Ilza da Conceição resume sua trajetória de empreendedorismo no bairro do Pina. Filha adotiva, ela deixou sua família biológica aos 11 anos em Afogados da Ingazeira para viver no Recife, onde aprendeu tudo o que sabe sobre empreendedorismo e sobre lanches, que é o seu ramo de atuação.

Conheça Aurieta, uma mulher que dedica a vida às crianças de Brasília Teimosa

“A gente já nasce desenrolada, e se a gente vai pra luta, a coisa acontece”, conta. “Eu era uma criança pobre que precisava de um rumo. Foi quando minha mãe me adotou e me trouxe pra morar com ela”, acrescenta Dona Coxa, como é conhecida na comunidade Jardim Beira-rio.

Até ser rebatizada pelos vizinhos e clientes, Dona Coxa ajudava nas encomendas de salgados e doces que a mãe fornecia para lanchonetes e, com a morte dela, há cerca de dez anos, nasceu uma empreendedora.

9 anos depois: O Pina visto por dois pinenses que moram no Japão

“Quando minha mãe já estava na luta contra o câncer, eu já tinha assumido o negócio usando o nome dela. Aí quando ela veio a óbito, eu tive que me virar sozinha, porque eu já estava mergulhada nesse negócio de fazer salgados”, conta. “Já tinha deixado o emprego que eu tinha e tudo”, completa.

E assim seguiu Maria Ilza até decidir se formalizar e abrir sua própria lanchonete. “Eu já vinha percebendo que eu podia vender os salgados diretamente e por um preço mais acessível. E o preço que eu estava fornecendo estava ficando caro”, explica.

Essa formalização teve influência do RioMar Shopping, que foi construído em 2012, em frente à casa dela. “Durante a obra, eu mesma comecei a vender lanches para os operários, e a coisa foi crescendo. Quando o shopping inaugurou, eu decidi pegar a casa ao lado da minha para fazer minha lanchonete”, conta.

Foi aí que ela contou com a ajuda do comércio local e, em seis anos, sua lanchonete passou de 2 para 14 funcionários. “No começo é bem difícil. As empresas não te dão crédito, porque acham que você é um aventureiro. Aí quem me ajudou foram os comerciantes do bairro. Os empresários locais, que me deram crédito, me venderam insumos com pagamento facilitado”, afirma.

Palestra

A história de Dona Coxa será compartilhada por Maria Ilza da Conceição no evento RioMar Entre Elas, que vai acontecer no Teatro RioMar, no próximo dia 13. São três painéis, com palestras de Martha Gabriel, sobre inovação e criatividade; Zezé Motta e Rayza Nicácio, sobre empoderamento feminino; e Joana Lira e Maria Ilza, sobre empreendedorismo feminino. Os ingressos custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

“Qualquer pessoa pode fazer qualquer coisa. Faça com dedicação que a coisa flui. Eu digo sempre aqui ‘faça como se fosse pra você’. Trabalhe, tire o traseiro do sofá e vá agir”, encerra.