Meses de desemprego e insucesso em negócios fizeram com que dois amigos inovassem em uma atividade que já era comum na cidade: vender água nos sinais de trânsito. Com bandeja, balde de gelo e uniforme de garçom, Leandro Soares e Adriano Porciano já conquistaram a simpatia de quem passa pelo cruzamento da Av. Domingos Ferreira com a Rua Tomé Gibson, no Pina.

Os Garçons do Sinal, como estão sendo chamados, não distribuem apenas água. Eles levam sorriso e, principalmente, uma aula de disposição em meio à adversidade. Adriano já perdeu as contas de há quantos meses está sem emprego. Leandro viu seu restaurante falir e se deparou com a necessidade urgente para continuar pagando as contas.

No Pina, o tráfico de livros tem sido frequente

“Eu vi na Internet que tinha dois caras ganhando dinheiro vendendo água dessa forma, aí conversei com Adriano, pedimos um empréstimo de R$ 600 para comprar o material e estamos aqui. Graças a Deus, o povo do Pina e de Boa Viagem nos abraçou e estamos seguindo”, conta Leandro.

A receptividade tem impressionado Leandro, que, além de atuar como churrasqueiro em seu próprio restaurante, já foi frentista e agente de segurança. Já Adriano trabalhava como auxiliar de serviços gerais e foi demitido este ano. O primeiro acabou se separando da mulher em meio à turbulência desde o fechamento do restaurante. Enquanto que o segundo recebeu a notícia de que vai ser pai.

9 motivos para comprar do pequeno neste fim de ano

Eles comentam que as pessoas param, tiram foto e, às vezes, pagam até mais que R$ 1. “Nós vendemos mais de 200 garrafinhas por dia e teve um dia aqui que vendemos umas 400 águas”, relata Adriano.

Um dos clientes da dupla era um representante de uma marca de água mineral, que os abordou e decidiu fornecer toda a mercadoria. “Graças a ele, hoje trabalhamos com 100% de lucro”, completa Leandro.