Uma conversa agradável com muita história para contar e que envolve o interlocutor levando-o para uma viagem entre a Argentina dos anos 1980 e o Recife dos dias atuais.

A entrevista do PorAqui com Hector Horacio Cometti, conhecido por frequentadores da praia de Boa Viagem – onde ele vende as famosas empanadas – como Horacio, começou com um “como vai?” e, com meia hora, já havia registro de vários fatos da trajetória desse argentino que adotou Boa Viagem como habitat há 34 anos.

Leia também

Av. Boa Viagem: Uma moderna senhora de 95 anos

Você conhece o sanduíche do Formiga, que tem 25 anos de praia?

Ele circula pelas areias de BV Beach todos os sábados e domingos entre o Terceiro Jardim e a Padaria Boa Viagem e gosta de parar e conversar com os clientes. “Tem muita gente que eu conheço desde pequena”, diz.

(foto: arquivo pessoal)

“Tenho mais de 30 anos morando aqui e me integrei bem à sociedade. Tenho minha maneira de ser, mas eu sou sociável”, acrescenta lembrando de sua personalidade forte, que não se furta de dizer o que pensa.

Horacio nasceu em Buenos Aires e cresceu em La Boca, onde cultivou o amor pelo Club Atlético Boca Juniors e casou pela primeira vez. Por participar da luta contra a ditadura militar em seu país, optou por não ter filhos na época.

Foi a citada personalidade que o tirou da Argentina, em 1982, quando um milhão de pessoas lotaram a Plaza de Mayo para aplaudir o governo militar pela invasão às Ilhas Malvinas. “Isso me chateou muito, porque eu era militante revolucionário e me arrisquei muito, perdi um matrimônio por causa disso”, relata.

“Em 1983, visitei uma prima no Rio e disse que queria sair da Argentina. Ela me indicou uma cidade muito boa ‘acima da Bahia’, e, no ano seguinte, eu juntei meus cacos e vim para cá”, conta. No primeiro mês, se apaixonou pela atual esposa, com quem criou duas filhas, hoje adultas.

Questionado se guarda mágoa de seu país, Horacio para um pouco e alivia. “Da Argentina não, mas de parte do povo de lá, que lotou uma praça para aplaudir um governo ditatorial”, desabafa.

(foto: arquivo pessoal)

As posições de Horacio são declaradas por ele sem que haja uma demonstração de radicalismo, com certa leveza que carrega um homem alto e forte fisicamente. Outro pensamento forte ele carrega sobre Diego Armando Maradona.

“Maradona foi um grande craque de bola, mas como pessoa é um fdp. Deu muitos exemplos errados, inclusive passou a vida sem reconhecer a filha. Isso não existe”, reclama.

Hoje, as atividades de Horacio se dividem na fabricação e na venda dos pasteis e um trabalho em Goiana. As empanadas custam R$ 10 e são vendidas nos sabores carne e frango.

“Vivo há mais de 30 anos aqui, fiz muitos amigos aqui, que os filhos deles cresceram junto com minhas filhas. As meninas também agora estão uma com mestrado e a outra entrando no doutorado. Eu estou com minha vida resolvida só esperando a morte chegar. Ela também não precisa vir agora”, brinca.