“O blesq blom… neon neuai nirolei ionoreilorai…” Se você escutou frases parecidas com essa, até hoje sem significado, você viveu a Praia de Boa Viagem durante os anos 1980. Estamos falando de Mauro e Quitéria. Uma dupla que fazia sucesso nas areias e era notada de longe. Tanto que foram abordados e chegaram a gravar música e fazer shows com os Titãs.

Mauro tinha deficiência visual e ia junto com sua companheira Quitéria todos os sábados e domingos cantar na praia em busca de algum dinheiro que algum banhista viesse a doar. De acordo com o morador do bairro, Claudionor Hollanda Filho, eles começaram a “carreira”, que a gente pode chamar de saga, cantando música gospel, mas foram convencidos pelo público a cantar músicas “do mundo”.

Barra Limpa, Ronnie Von e Coxa. Quem lembra deles em Boa Viagem?

Foi aí que surgiram pérolas que não podiam ser identificadas nem classificadas pelos ouvintes. Uma dessas andanças e cantorias coincidiu com uma temporada que os Titãs estavam passando no Recife. A banda tinha vindo para a Capital Pernambucana para se apresentar em um showmício de Tancredo Neves durante a campanha para as eleições de 1985.

“Uma semana depois desse showcomício, eles iriam fazer um show em uma casa na cidade. Aí a gravadora entendeu que era melhor manter eles por aqui e colocá-los na mídia local”, conta Roger de Renor (aquele da Soparia), que, na época, era funcionário da Warner Music no Recife.

Paulo Miklos conta em um documentário que, ao ver o casal passando, correu para o hotel em busca do gravador, enquanto Tony Belloto correu para buscar de volta Mauro e Quitéria. Naquele dia, eles gravaram e teve início uma parceria.

A gravação da praia foi usada na introdução do disco lançado em 1989. Mauro e Quitéria chegaram a fazer participação em shows da banda e chegaram a ganhar dinheiro com direitos autorais. “Eu soube que ela comprou alguma daquelas promoções de Silvio Santos, como Carnê do Baú, e acabou comprando alguns móveis para a casa deles”, acrescenta Roger.

Eles moravam no bairro do Jordão, também na Zona Sul do Recife, e iam caminhando até a praia, onde andavam mais alguns quilômetros. Durante a caminhada e a cantoria, havia várias paradas para conversas. “Eles sempre cantavam coisas que não davam para entender, e na hora de conversar, era a mesma coisa. Mauro não falava nada com nada, mas eles eram o sucesso da praia naquela época”, completa Roger.

Informações dão conta que ambos faleceram ainda nos anos 1990. Primeiro teria sido Mauro, depois, Quitéria. Gostou da lembrança? Comenta aí com histórias deles!