Que o Pina foi submetido a uma grande transformação nos últimos, até quem mora fora do País já sabia. No entanto, para quem não está por aqui, ouvir sobre as mudanças do bairro é uma coisa, já constatar é outra história. É o caso dos pinenses Gutemberg Gomes e Akemi Imai, que se mudaram para o Japão em 2008 e agora estão na terrinha para um período de férias.

Desde que eles saíram do bairro pela última vez, em 2008, Akemi e Guto não viram a construção do Shopping RioMar nem das torres do RioMar Trade Center. A Via Mangue, então, era apenas aquele velho projeto atravessou décadas nas gavetas da Prefeitura do Recife. Também surgiram vários prédios e várias mudanças no trânsito.

7 coisas que só quem frequenta a Praia do Pina entende

A primeira semana foi um forte teste. Hospedados no Ibura, os dois foram trazidos e deixados no RioMar. Mesmo tendo nascido e sido criados no Jardim Beira-rio – o entorno do mall –, precisaram perguntar a várias pessoas o caminho que tinham de fazer até chegar à casa da família de Guto.

“Depois que eu achei a saída certa do shopping, ficou mais fácil encontrar a lanchonete que minha irmã trabalha”, conta ele. Outra aventura ocorreu nos dias seguintes. Já com a carteira de habilitação renovada, o casal pegou um carro e foi, por conta própria, do Ibura para o Pina. “Na hora de decidir qual entrada pegar, acabei entrando na Via Mangue e voltei para Boa Viagem”, relata.

7 fatos sobre a história do Pina

“Tem algumas coisas que eu sei andar, mas que tá muito diferente, tá. A casa da minha mãe mesmo está totalmente diferente”, afirma Akemi. “Mas o que eu percebi e lamento é que o bairro perdeu a tranquilidade. A chegada do shopping parece ter trazido muita coisa boa, mas as ruas só vivem cheias. Os moradores não podem nem estacionar na porta de casa, e as crianças não podem brincar nas ruas”, lamenta.