Que o bairro de Boa Viagem só foi ocupado em massa da metade do século passado pra cá todo mundo sabe. Mas também é sabido que o bairro existe e abriga moradores há mais de 300 anos. No Século XVIII, já havia vendas com hospedaria que recebiam viajantes que chegavam do Litoral Sul.

Criada a primeira vila da região, um padre da Paróquia de Prazeres resolveu destinar um terreno para a construção de uma capela. Esta que foi inaugurada em 1746 e recebeu o nome de Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem, padroeira dos navegantes e viajantes. Até hoje, a pracinha em volta do templo religioso é um dos lugares públicos mais frequentados do bairro.

Algumas boates que marcaram época em Boa Viagem nos anos 1980

O segundo impulso que Boa Viagem vem ter em termos de povoação é em 1858, quando foi inaugurado o primeiro trecho da estrada de ferro Recife-São Francisco, na região próxima à Vila do Cabo. Uma das estações ficava no final da atua Rua Barão de Souza Leão, e a ligação entre a Pracinha de Boa Viagem e a estação era feita de duas formas: trole (carros mecânicos movidos com ajuda de cabos de aço) ou bonde de burros.

3 prédios históricos que cravaram lugar na paisagem de Boa Viagem

Outros fatores que vieram a trazer mais moradores para o bairro foram as construções da Av. Boa Viagem, em 1924, e do Aeroporto dos Guararapes, em 1958. Para acompanhar, essa evolução, o bairro ganhou o seu primeiro hotel de classe internacional: o o Hotel Boa Viagem.

A partir daí, os casarões – como não lembrar da Casa-Navio –, que já eram realidade na avenida, começaram a ter a companhia de edifícios, como o Califórnia, Acaiaca e Holiday, entre outros. Foi aí que teve início a infindável temporada de construção de arranha-céus entre a Av. Boa Viagem e o Parque dos Manguezais.