Faleceu há alguns dias um personagem que marcou época na boemia do Pina: Luiz Ferreira de Araújo, mais conhecido como Barão. Ele convivia com um diabetes e com problemas no coração. Estava hospitalizado há cerca de um mês.

Há até alguns anos, o Barão tinha uma lanchonete especializada em comida árabe que teve seu tempo áureo nos anos 1980. Era quando ele promovia, às sextas-feiras, a Noite das Rolinhas. Um evento quase secreto que contava com  apresentações de transformistas e um desfile de rapazes.

Soparia e as histórias da efervescência do Pina na década de 90

Os candidatos desfilavam primeiro vestidos e, no final, completamente nus. O concurso era conhecido como “As Rolinhas do Barão”, em referência ao proprietário do estabelecimento e o animador das festas. Essa época do auge do barão foi retratada no filme Kibe Lanches, dirigido por Alexandre Figueirôa e que foi selecionado para a mostra competitiva do Rio Festival de Gênero & Sexualidade no Cinema, que ocorre no Rio de Janeiro, entre os dias 5 e 11 de julho.

“Barão é um personagem que, nos anos 1980, quando ainda não existiam eventos dedicados ao público LGBT e numa época em que havia uma repressão silenciada, ele foi criando um público que estava disposto a ir para eventos desse tipo”, comenta o diretor.