Você sabia que Boa Viagem já teve um navio fora do mar? Durante 41 anos, a Casa-Navio, construída pelo empresário Adelmar da Costa Carvalho, foi ponto de encontro de recifenses e turistas. E turistas recifenses também, já que até os anos 1950, o bairro era pouco habitado e tinha sua ocupação ampliada aos fins de semana ou temporadas de veraneio.

Marco na resistência imobiliária, Edf. Oceania tem apê à venda

De acordo com pesquisas do historiador Carlos Bezerra Cavalcanti, em seu livro O Recife e seus bairros, o imóvel número 4000 da Av. Boa Viagem contava com sala de reuniões, quartos, suíte, cinema, salão de jogos, restaurante e até uma cabine de comando que era igualzinha a de um navio.

Inspirado na planta do navio Queen Elizabeth, Adelmar tinha o objetivo inicial de construir um transatlântico sobre a terra, mas, após recomendações de seu arquiteto Hugo Azevedo, acabou se contentando com um iate. Ao longo de sua vida, o prédio se tornou hospedaria de governador do Estado e de ministros e chegou a receber o presidente Juscelino Kubitschek.

Barra Limpa, Ronnie Von e Coxa. Quem lembra deles em Boa Viagem?

A localização da casa, entre as ruas Ribeiro de Brito e Ernesto de Paula Santos, era na área batizada popularmente como Corta-Jaca, onde o Governador Carlos de Lima Cavalcanti costumava mergulhar e, consequentemente, juntava uma porção de pessoas. Segundo o historiador Carlos Bezerra, uns tinham interesses políticos, e outros queriam chamar a atenção de uma das filhas do chefe do Executivo Estadual.

O fato é que a Casa-Navio entrou para a história da arquitetura da cidade, sendo visitada e observada por muitos. Hoje, ela é exclusivamente história, já que foi derrubada em 1981. No seu lugar, foi erguido o Edf. Vânia.