A sexta-feira (31) amanheceu com demolição de barracos da Comunidade Pocotó, instalada em volta do Túnel Augusto Lucena, em Boa Viagem, e com várias famílias desabrigadas. A remoção ocorreu no início da manhã, e a Av. Dom João VI precisou ser interditada nas proximidades do túnel.

Leia também

Cobiça pelo terreno do antigo Aeroclube reacende debate sobre moradia no Pina

Famílias da Comunidade Pocotó pedem negociação por moradia digna

De acordo com a Prefeitura do Recife, foram demolidos nove barracos, e as famílias já haviam sido incluídas no auxílio moradia. No entanto, a informação dada pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) é que a demolição atingiu 20 barracos e que nem todos estavam desocupados.

“Algumas famílias foram pegas de surpresa e outras saíram após receberem ameaças do poder público. Na última reunião que tivemos com a Prefeitura, eles prometeram incluir essas famílias no auxílio moradia e no habitacional que está sendo projetado para o terreno do aeroclube, mas nada disso aconteceu até agora”, reclama Rud Rafael, assessor de comunicação do MTST.

A PCR argumenta que “a ação é baseada em critérios técnicos da Defesa Civil, que alegam risco à estrutura do sistema viário, que não foi projetado para receber moradias”.

“Equipes sociais da Secretaria de Infraestrutura e Habitação realizaram o cadastramento das famílias que construíram barracos e ocupavam irregularmente a parte superior do túnel. Após a inclusão das famílias no auxílio moradia, nova decisão do Tribunal de Justiça de Pernambuco determinou a desocupação voluntária do local, após a citação por parte do Oficial de Justiça”, afirma a nota divulgada pela Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano do Recife (Semoc).

Cerca de 80 profissionais da Semoc, Dircon, CTTU e Emlurb participaram da operação, que não teve conflitos na execução. A operação teve início às 5h e contou com um efetivo de seis agentes de trânsito, que interditaram o Túnel Augusto Lucena, no sentido Boa Viagem.

O trânsito também foi bloqueado no Viaduto Tancredo Neves, próximo à bifurcação, na faixa da direita que dá acesso ao antigo Carrefour. O objetivo dos bloqueios foi viabilizar a operação e realizá-la com segurança.