Em meio a tanto corre-corre, tantos muros altos, tantos carros, motos, caminhões passando entre Pina e Boa Viagem, há uma praça bem conservada e cheia de sossego pra te oferecer. O equipamento urbano esquecido ou ignorado pela população foi inaugurado há 44 anos e vê gerações passarem sem dela aproveitar como deveriam.

Leia também

Cobiça pelo terreno do antigo Aeroclube reacende debate sobre moradia no Pina

Complexo Santos Dumont, em Setúbal, será parque público ao ar livre

Com balanços, escorregadores, entre outros brinquedos, além de mesas para piquenique ou jogos, a Praça Marcantônio Vilaça fica localizada entre as ruas Joaquim Carneiro da Silva, Antonio Pedro de Figueiredo e Alexandrino Martins Rodrigues e às margens da Via Mangue. O local tem várias empresas, residências e até uma escola, mas pouco se vê crianças por lá.

Bela paisagem do local não conta com presença de crianças em seus brinquedos (foto: Geraldo Lélis/PorAqui)

No máximo, podem ser vistos adolescentes que aproveitam a sombra e o sossego do local para namorar depois de largar da escola. “Essa praça é histórica pra mim. Eu que sempre morei no Pina, na minha adolescência, vinha para cá pra namorar escondido”, conta Edivaldo Elias, que hoje trabalha como vigilante da área.

“Essa praça só vê gente mesmo quando, às vezes, tem algum evento, no São João ou no Natal, que trazem crianças pra cá”, comenta Edivaldo.

Entre os moradores do Pina, o local ficou conhecido como Praça dos Pinheiros, em um equívoco popular que confundiu as casuarinas plantadas na praça com pinheiros. São 8,2 mil metros quadrados de um equipamento bem cuidado, recém-reformado, arborizado e – apesar do barulho de veículos na Via Mangue ao lado – um silêncio renovador.