Você ainda vai ouvir muito falar da tarde deste domingo (21), quando a Troça Eu Acho é Graça fez sua estreia pelas ruas do bairro da Zona Norte do Recife. “Foi perfeito, mais do que a gente imaginava”, diz Isabela Faria, moradora das Graças e uma das dez pessoas que fazem parte do grupo de trabalho responsável por esse evento, ligado à Associação por Amor às Graças.

Foto: Conceição Maria Marinho/Colaboração

Segundo a organização da troça, cerca de mil pessoas participaram do evento, que se concentrou na Bodega de Véio, na Av. Rui Barbosa, das 13h às 16h, quando saiu em direção à Cardeal Arcoverde, depois Rua das Pernambucanas, até chegar na Rua das Graças, com uma parada na frente da Igreja das Graças e da Fazendinha, “para reverenciar os grandes parceiros da Associação, Brandão e Vital”.

Foto: Helena do Amaral/Colaboração

Com a venda de 150 camisetas, deu pra alugar banheiros químicos, montar a iluminação, adquirir o estandarte (feito pelo artista olindense Gustavo Viana), contratar a Orquestra Alvorada, que ficou uma hora a mais que o combinado por conta da empolgação da troça, que foi até as 21h.

“Esses são os verdadeiros patrocinadores: todo mundo que comprou camiseta”, afirma Fernando Moura, também do grupo de trabalho.

Para Isabela Faria, além da parada na frente da Fazendinha, outro momento inspirador foi o estandarte passando de mão em mão. “Empoderou muita gente, cada um tendo sua alegria. Foi marcante!”, relembra.

O professor universitário Thiago Diniz, morador de Casa Forte, decidiu que viria morar nas Graças depois de participar do bloco. Se ele estava brincando, eu não sei, mas que o bairro se amostrou à vontade ontem, fiquem certos! ?