Dois pernambucanos, ele artista plástico e ela jornalista, decidem se fantasiar de jornalistas correspondentes para brincar o carnaval em Pernambuco. Empregados do Costa Coffee, empresa de café multinacional localizada dentro da BBC News, Lourival Cuquinha e Tatiana Diniz deram um ninja na onírica realidade carnavalesca e criaram a BBC Olinda.

Como possuíam o crachá da rede de notícias britânica, a fantasia já estava pronta. Para aumentar a comitiva jornalística hiperlocal da BBC Olinda, tiveram que burlar os limites da instituição inglesa. “Tínhamos uma amiga que trabalhava no setor de crachás e ela fez mais três crachás para três amigos também servirem de repórteres”, relembra Cuquinha.

Imagens de carnavais antigos fazem parte da narrativa do curta-metragem. Foto: Reprodução/Youtube

Sem pautas definidas, os correspondentes da BBC Olinda mergulharam no Carnaval 2009 incorporados por uma mistureba de narrativa gonzo, cinéma vérité de Rouch e aquela velha berlinda olindense. “A gente não tinha roteiro, as pautas eram espontâneas, a gente lembrava dos assuntos a partir do que o Carnaval trazia para a gente”, conta o artista plástico.

Em busca do boneco de Lirinha. Foto: Reprodução/Youtube

A pauta surgida sobre o boneco de Olinda do compositor Lirinha é um exemplo. “Ele chegou dizendo todo orgulhoso que naquele ano haveria um boneco dele no Carnaval”. Foi o gatilho para os jornalistas da BBC Olinda promoverem uma cruzada nonsense em busca do boneco que homenagearia o músico arcoverdense.

A imprensa já denunciava que fazia parte de uma brincadeira. Foto: Reprodução/Youtube

O rolé da BBC Olinda pelo carnaval daquele ano confundiu a cabeça de alguns foliões, que realmente acreditavam se tratar de jornalistas correspondentes da BBC de Londres. “Saíram notas nos jornais dizendo que era mentira, mas ninguém lê jornal ou não ia ler durante o Carnaval”, conta o artista plástico.

O crachá da BBC e a rede de contatos de Cuquinha e da jornalista Tatiana Diniz facilitaram o trânsito em espaços mais restritos e “institucionais”. Foi cobrindo o show de Otto no Palco Fortim que foram convidados pelo assessor de imprensa de Alceu Valença para uma festa privada na casa do cantor. “Vão ter 60 jornalistas franceses, vocês precisam ir”, disse o assessor.

O artista Paulo do Amparo teve a oportunidade de tocar alguns hits em homenagem a Alceu Valença. Foto: Reprodução/Youtube

A ocasião marcava o aniversário do já falecido DJ francês Rémy Kolpa Kopoul, conhecido por disseminar a música brasileira no mundo. “Na época Paulinho (do Amparo) estava com a campanha 100 anos de Alceu e tocou alguns hits com uma orquestrinha de frevo que o próprio Alceu tinha contratado”, recorda Cuquinha.

Lourival Cuquinha dirigiu o filme. Foto: Divulgação

Como não poderia deixar de ser, a classe político-partidária também virou pauta da BBC Olinda. O filme também traz entrevistas em evento carnavalesco da Prefeitura de Olinda com Luciana Santos, ex-prefeita da cidade, Renildo Calheiros, então prefeito da cidade, e Eduardo Campos, na época Governador do Estado de Pernambuco.

Desde que foi lançado em 2009, BBC Olinda é resgatado nas redes sociais sempre em período de prévia carnavalesca. Segundo Cuquinha, o sucesso por trás do filme tem a ver com a legitimidade da cobertura. “É um vídeo carnavalesco. Matérias jornalísticas sobre carnaval todo ano é igual, o jornalista de calça jeans no meio daquilo tudo não dá liga. Na BBC estávamos brincando, bebendo e tomando todos os psicotrópicos”, conta.