Este é o terceiro ano consecutivo que uma tradicional prévia de Carnaval da Av. Boa Viagem não vai desfilar. O Clube dos Rapazes Inocentes (CRI), que abriu a folia no bairro da Zona Sul por mais de 40 anos, corre o risco de já ter sido extinto. Para reverter a situação, integrantes insistentes clamam pela volta de dirigentes antigos, para que o bloco seja retomado.

“A diretoria atual não se movimentou para nada nesses últimos três anos. Eu me coloquei à disposição do presidente para correr atrás dos patrocínios e organizar o bloco, como fazia há 14 anos, e ele achou que não precisava. Agora tá aí sem conseguir fazer as coisas e deixando de lado”, reclama o ex-integrante da diretoria, Eurico Caetano, que ficava responsável por organizar o desfile.

Bloco reunia mais de 2 mil pessoas a cada desfile, sempre na semana pré-carnavalesca (foto: Facebook/CRI)

Para que o bloco volte em 2019, Eurico acredita que a solução seja o retorno de diretores antigos, como o ex-presidente Paulo Camelo. “Estamos conversando com o pessoal de diretorias passadas e queremos que o presidente anterior volte, para que CRI não acabe”, explica Eurico.

O Bloco do CRI desfilou por 43 anos consecutivos na Av. Boa Viagem entre as ruas Ribeiro de Brito e Antônio Falcão, com oferecimento de um farto café da manhã e bebidas sob a regência de duas orquestras de frevo. No café da manhã, eram oferecidos 400 litros de munguzá, pirão, caldinho, churrasco, cerveja, refrigerante e batida de cachaça, além de frutas.

Nos últimos, com o objetivo de diminuir o desperdício de comida, a organização chegou a utilizar cordão de isolamento na área do café da manhã, onde só entrava quem comprasse o abadá, que era vendido a preço de custo, segundo conta Eurico.

O Clube dos Rapazes Inocentes se reúne todos os dias há 47 anos para jogar voleibol na areia da Praia de Boa Viagem, em frente ao Edifício Porto Seguro.