A 3ª edição do Gravatá Jazz Festival, que acontece entre os dias 10 e 13 de fevereiro, é alternativa para quem quer passar o carnaval na serra, longe das ladeiras de Olinda . O evento, que era realizado até 2015 em Garanhuns, passou por modificações e aporta há três anos na terra do morango. A direção vai divulgar na quarta-feira (7) a programação completa, mas para dar tempo de planejar a viagem, o PorAqui o reuniu os artistas já confirmados.

Earl Thomas

Uma das vozes do blues contemporâneo, o cantor e compositor norte-americano celebra 25 anos de carreira com 14 álbuns lançados. Indicado duas vezes ao Grammy, e a primeira canção escrita por ele, foi interpretada pela cantora Etta James.

Bex Marshall

A cantora e guitarrista britânica participa pela segunda vez do Gravatá Jazz Festival. Suas composições transitam entre o blues e country com técnicas de slide, que apura desde os 11 de idade, quando começou a tocar guitarra. Em sua última passagem pelo agreste pernambucano, Bex esbanjou simpatia e encantou o público presente nas terras gravataenses. “Em 2016 foi uma energia incrível. Desta vez, vou levar três guitarras diferentes: uma acústica, uma ressonadora e outra elétrica. Estou completamente carregada para acender o pavio dos fogos de artifício”, declarou a Bex em entrevista ao PorAqui.

Gustavo Andrade e Jefferson Gonçalves

É tradição do festival promover encontro entre músicos. Para este ano, um dessas reuniões será entre o guitarrista Gustavo Andrade, referência no blues mineiro, e o gaitista carioca Jefferson Gonçalves, figura conhecida das noites de blues de Pernambuco.

Jefferson Gonçalves toca com o guitarrista Gustavo Andrade | Foto: Samuel Macedo

Amaro Freitas

Destaque com o álbum Sangue Negro, lançado em 2016, o recifense de apenas 26 anos, que mescla o jazz com música popular brasileira e estilos regionais, como o frevo, também está confirmado para o festival. Entre suas principais influências, Thelonious Monk, Chick Corea,  e Herbie Hancock.

 

Amaro Freitas | Foto: Rafael Medeiros/Divulgação

Quinteto Violado

Um dos grupos musicais mais antigos em atividade de Pernambuco, desde a década de 1970, o Quinteto Violado confirma participação no festival. Na abertura do Carnaval do Recife, os músicos contarão a história do frevo em pleno Marco Zero.

Blues Etílicos

Talvez a banda que possua a marca mais forte e personalidade do blues tipicamente etílico brasileiro. São 30 anos de estrada com os músicos Flávio Guimarães, Otávio Rocha, Beto Werther e Cláudio Bedran.

Blues Etílicos | Foto: Divulgação

Victor Biglione

Ex-integrante do grupo A Cor do Som, o argentino é guitarrista, violonista e compositor. Em 2016, foi indicado ao Grammy Latino de Melhor Instrumental pelo álbum Mercosul.

Victor Biglione | Foto: Divulgação