Nesta quarta e quinta-feira (31 e primeiro de fevereiro), o Pátio de São Pedro, no Centro do Recife, vai sediar o 8º Encontro de Baques de Caboclinho, que vai reunir 16 Ternos de Agremiações de Caboclinho.

O evento vai contar apenas com os integrantes dos ‘Ternos’, que são os núcleos musicais das agremiações que relembram os povos indígenas. Já o Encontro de Caboclinhos e Índios acontece no dia 7 de fevereiro, na Praça do Arsenal, no Bairro do Recife, reunindo 18 Agremiações.

Os ternos ou baques são formados pelo som do surdo, caracaxás (também conhecidos como maracás ou exeres) e a inúbia (flauta ou gaita), que dão ritmo às preacas (arco e flecha). O Baque pode ainda ter atabaque, caixa e algumas agremiações contam ainda com o Mestre, que “tira a Lôa”.

(Foto: Clélio Tomaz/PCR Imagem)

O evento, aberto ao público, começa às 19h.

Confira a programação:

31/01 (quarta)

Ordem de apresentações:

Caboclinho União Sete Flexas
Tribo de Índio Tupi Nambá
Tribo de Índio Papo Amarelo
Caboclinhos Tapuias Camarás
Caboclinhos Cahetés de Goiana
Caboclinhos 7 Flexas
Caboclinhos Arapahós
Caboclinhos Kapinawá
Caboclinho Tupã

Caboclinho 7 Flexas segue tradição criada pelo Mestre Zé Alfaiate

 

01/02 (quinta)

Ordem de apresentações:

Caboclinhos Canindé do Recife
Caboclinhos Paranaguazes
Tribo de Caboclinhos Tupi
Tribo de Índio Tabajara de Goiana
Tribo de Índio Tupi Guarani de Olinda
Caboclinhos Oxóssi Pena Branca
Caboclinho Tabajara
Tribo indígena Tapirapé