Um dos mais emblemáticos eventos do Pátio de São Pedro, adormecido nos últimos meses, volta à cena neste período pré-carnavalesco: a Terça Negra ganha edição especial de Carnaval, e acontece nesta terça (16).

A partir das 20h, subirão ao palco do Pátio de São Pedro atrações representativas da raiz negra da nossa cultura: Ciranda de Sant’Anna, Maracatu Leão da Campina, Afoxé Obá Iroko e o Coco do Santiago.

ACOMPANHE OUTRAS NOTÍCIAS DA FOLIA NA ESTAÇÃO GUIA CARNAVAL 2018.

Uma curiosidade – infeliz – é que a Terça Negra, evento que se tornou o grande puxador de uma movimentação cultural às terças-feiras na cidade, foi descontinuado em pleno auge.

Realizada pelo Movimento Negro Unificado (MNU), com o apoio da Prefeitura do Recife, a Terça Negra foi minguando durante os anos de Gerado Julio à frente da gestão municipal, e, aos poucos, saindo da programação cultural do Recife.

Antes semanal, a última edição do evento que contou com apoio da Prefeitura aconteceu justamente em fevereiro de 2017, também um especial de Carnaval. Depois disso, foi realizada uma edição “de resistência”, promovida pelo MNU, em parceria com o Som na Rural, em novembro.

Pátio de São Pedro: do auge ao abandono

“A prefeitura alega a crise econômica e falta de recursos”, diz Demir da Hora, coordenador da Terça Negra, sobre a descontinuidade do apoio da Prefeitura ao evento. “A Terça Negra foi algo que transformou a terça-feira num dia de cultura na cidade que, antes dela, não existia”.

“Os grupos continuam produzindo, nas periferias. Mas, infelizmente, perderam esse espaço, que tanto a Secretaria de Cultura quanto a de Turismo deveriam aproveitar para fortalecer a nossa cultura”, lamenta ele.

Demir disse que há uma promessa da Prefeitura de voltar com a Terça Negra, desta vez, em edições mensais.

Resposta

Questionada a respeito do assunto, a Secretaria de Cultura do Recife não respondeu sobre a descontinuidade no apoio às edições semanais da Terça Negra. No entanto, assegurou a retomada do evento, que “será realizado uma vez por mês, com datas e programações a serem pactuadas entre o Movimento Negro Unificado e a Prefeitura do Recife, por meio do Núcleo Afro”, disse a assessoria de imprensa do órgão, em nota.

TERÇA NEGRA – A Terça Negra começou em 1998, no Pagode do Didi, nas imediações da Avenida Dantas Barreto. Em 2001, o evento migrou para o Pátio de São Pedro e passou a acontecer todas as terças-feiras, fazendo parte do calendário cultural oficial da cidade.

A Terça Negra foi criada pelo MNU – Movimento Negro Unificado, que surgiu em Recife em 1979 e ganhou força na década de 1990, com o objetivo de ir além do “Samba de Raiz” e divulgar outras vertentes da cultura negra, como o maracatu, o afoxé, coco de roda e até o reggae e o hip hop.

Terça Negra Especial de Carnaval
com Ciranda de Sant’Anna, Maracatu Leão da Campina, Afoxé Obá Iroko e Coco do Santiago
Terça (16), a partir das 20h
Aberto a público

O guia das prévias de Carnaval do Recife e de Olinda ?