Toda cidade do interior que se preze, tem uma avenida principal onde acontece de tudo. Claro que Caruaru, no Agreste de Pernambuco, já não é a mesma de 20 anos atrás. Hoje existem várias avenidas principais, mas somente uma se destaca pela evolução nas duas últimas décadas: a Av. Agamenon Magalhães.

Possivelmente o político Agamenon Magalhães tem seu nome utilizado em várias ruas e avenidas de todo o País, mas, na Capital do Forró, a via que carrega seu nome tem algumas peculiaridades.

Avenida Agamenon Magalhães requalificada. Crédito: Janaina Pepeu

Histórias

Na década de 1980, a avenida principal de Caruaru era destaque por abrigar o estádio do time do Central, a Rádio Difusora e as mansões luxuosas da cidade. As pessoas mais ricas daqui tinham uma bela e grande casa na Agamenon. Nos anos 1990, algumas residências foram cedendo espaço para clínicas e estabelecimentos comerciais, mas o destaque dessa época fica para uma fase bem legal que tinha no São João de Caruaru, o desfile das “drilhas”.

As drilhas arrastavam uma multidão pela avenida Agamenon Magalhães

As drilhas eram uma espécie de bloco, puxados por trios elétricos tocando forró e com participantes vestidos com uma temática. Tinha Gaydrilha (homens vestidos de mulheres), Sapadrilha (mulheres vestidas de homens), Piradrilha (participantes vestidos de pirata), Dogdrilha (cachorros com caracterizados de São João), entre outros. Era a maior animação das tarde do mês de junho em Caruaru.

Trios elétricos tocando forró faziam a alegria de quem acompanhava as drilhas

As drilhas acabaram em 2012. Depois a avenida ganhou um shopping (em 2009) e uma requalificação que deu uma nova cara para um dos principais corredores de circulação da cidade. Além disso, aos domingos e feriados, a Agamenon Magalhães fecha uma de suas vias para área de lazer, o que atrai um público de todas as idades para fazer caminhada, andar de bicicleta, dançar ou simplesmente ver a vida passar.

“Sempre que posso, venho com a minha neta andar de bicicleta aqui na avenida. É uma ótima opção de lazer e um lugar bastante agradável para encontrar os amigos. Além disso, a criação desse espaço incentivou muita gente a praticar esportes, muita gente comprou bike, patins e skate para utilizar na avenida”, diz a vendedora de planos de saúde Ivonete Dias.

Ivonete e a neta Amelie em um domingo na avenida