Sete anos consecutivos de uma das secas mais severas de todos os tempos no Agreste Pernambucano não deixaram muito espaço para a cultura do desperdício, sobretudo de água.

Com as chuvas que caíram nos últimos dias, a esperança de dias melhores e mais molhados ganhou força, mas o combate ao desperdício continua. O ambientalista Arnaldo Vitorino conseguiu um registro fotográfico que ilustra muito bem o valor da água para quem vive nessa região de Pernambuco.

Nesta terça (27), tem início Encontro Regional de Agroecologia

As chuvas sempre fazem poças d’água nas estradas de terra das áreas rurais. Numa dessas estradas, um homem do campo protegeu o pequeno reservatório com galhos e começou a coletar a água barrenta da poça, improvisando um pedaço de pano como filtro. Mesmo barrenta, a água não deixa de ser o mais precioso líquido do planeta.

Confira o registro nas fotos de Arnaldo Vitorino:

 

Por Bruno Bezerra

Administrador de empresas, empreendedor, ambientalista e entusiasta da paixão como combustível que move as pessoas que movem o mundo. Presidente da CDL Santa Cruz do Capibaribe e coordenador do projeto Bichos da Caatinga, presente no Facebook e no Instagram.

 

Os conteúdos publicados no PorAqui são de autoria de colaboradores eventuais e fixos e não refletem as ideias ou opiniões do PorAqui. Somos uma rede que visa mostrar a pluralidade de bairros, histórias e pessoas.