O ano era 2015 e o publicitário Juliano Ribeiro estava descontente com a rotina profissional na agência em que era sócio. Multi-instrumentista que participou de bandas que marcaram época no Recife, como a Pulso 100 e a Parafusa, ele havia deixado de lado a música para seguir na publicidade. Em crise na carreira, ele se voltou para a antiga e primeira paixão.

Mas como se sustentar com música? Ou melhor, como aliar música e publicidade? Foi aí que esse morador de Casa Amarela teve uma ideia em forma de pergunta: “Será que alguém compraria uma música?”.

Do Morro da Conceição para o mundo: atriz Mohana Uchôa estreia no cinema

O questionamento já tinha uma história. Em 2013, quando o primeiro sobrinho nasceu, ele fez uma música – letra e melodia – sobre o nascimento da criança e presenteou o irmão. “Foi muito emocionante a reação. Minha cunhada chorou muito e naquele momento tive um estalo”, conta Juliano.

“Eu pesquisei quem fazia esse tipo de música por encomenda e, na época, não achei nada no Nordeste. Havia um casal de publicitários em São Paulo, mas era algo mais popular”, lembra. Depois de participar de um curso de criatividade, decidiu: iria apostar em produzir e vender músicas para contar episódios das vidas das pessoas. Assim surgiu A música da sua vida.

O começo não foi fácil. Como cobrar por uma música? “Pensei em um valor que não é caro, nem barato, parcelo em cinco vezes e criei uma dinâmica de trabalho. Todos os dias vou para o estúdio, depois de deixar meus filhos na escola”, conta Juliano.

Em 2016, o projeto engrenou. Foram dez canções feitas. Em 2017, trinta e sete. Agora em 2018, Juliano só tem agenda para junho.

Como fazer uma música

As músicas que Juliano Ribeiro faz sob encomenda geralmente são para presentear. E quase sempre marcam momentos familiares. A chegada de um bebê, o aniversário de casamento.

Para que as músicas tenham a letra e a melodia que vão emocionar o presenteado, Juliano criou um formulário. “Aí a pessoa dá todos os detalhes e preferencias. O estilo e as músicas que a pessoa mais gosta”, diz.

Músicas de Sexta: bateu uma onda forte

Com isso, Juliano faz a letra e uma versão simples. Sendo aprovada, a música é gravada no estúdio que ele montou na casa dos pais. Hoje, ele comercializa dois produtos: uma faixa acústica e outra com banda completa. O preço começa em R$ 2 mil.

Com a demanda, surgiu ainda outro produto, que são os vídeos com a música e fotos e vídeos marcantes para o homenageado.

Nos planos deste semestre ainda está o lançamento de um álbum do projeto A Música da sua vida nas plataformas digitais, como o Spotify e o Deezer, no qual Juliano adota o nome artístico de Ruli Ribeiro.