Por Gabriela Belém

Casa Forte é um bairro que reúne tradição e modernidade. Ambiente cosmopolita e clima de interior. O Poço da Panela, então, é uma pérola que guarda histórias de um antigo povoado simples em meio às plantações de cana-de-açúcar. 

Pensando nisso, listamos 7 coisas do interior que você (ainda) pode vivenciar nas redondezas hoje em dia   :

1. O barulhinho dos sapos e grilos quando chove 

(foto: BubbleJuice/Pixabay)

Nesta época de chuva, em Recife, poucos bairros guardam um ecossistema tão parecido com o do interior, como o Poço da Panela e Casa Forte. O 'cri cri cri' é uma sinfonia pra quem curte apreciá-lo, depois do barulhinho da chuva, junto com o sussurro dos sapos. 

2. O canto da cigarras no verão

(foto: USA-Reiseblogger/Pixabay)

Cinco da tarde. Neste horário, só um morador de Casa Forte sabe bem o que é ouvir o canto sincronizado e intermitente das cigarras no verão.

3. Cavalos nas ruas, comendo o pasto nas praças do bairro

(foto: JC Imagem)

Vez ou outra, você ainda pode avistar alguns cavalos comendo pasto nas praças do bairro ou em terrenos baldios e achá-los bucólicos e poéticos, lembrando a paisagem do interior. Mas não se esqueça: esses animais, muitas vezes, são super explorados de forma cruel quando têm de puxar carroças por seus donos.

Apesar de uma legislação municipal (vigente desde 2013) proibir a circulação de veículos com tração de animais (burros ou cavalos), ainda é possível avistar algumas carroças nas ruas do bairro. A multa custa R$ 500. A fiscalização fica por conta do Detran-PE e da Polícia Militar.

Infelizmente, muitos animais são mal tratados, não tendo descanso e sendo mal alimentados (este não é um lado bom da vida interiorana do bairro). 

4. Brincar nas ruas do Poço da Panela

(foto: JC Imagem)

Por conta da violência atual, as crianças do bairro perderam a liberdade de brincar nas ruas. Mas, se você tiver sorte (e elas também), num fim de tarde qualquer no Poço da Panela, ainda há pequenos curtindo aquelas velhas brincadeiras de rua, como esconde-esconde, queimado ou pega-pega.

5. As casas coloniais e as ruas de paralelepípedo do Poço

(foto: JC Imagem)

Um charme à parte, o Poço da Panela é um pedacinho do interior no coração da cosmopolita Casa Forte, à beira rio, arborizado e com resquícios da sua origem rural e colonial. O casario histórico, que guarda marcas do século 18, banhado pelo rio Capibaribe, casa perfeitamente com o silêncio e o clima do interior.

6. As vendinhas de interior (raiz ou nutella)

(foto: Gabriela Belém/PorAqui)

Não importa se seu estilo é mais 'raiz' ou 'nutella'. No Poço da Panela, você vai encontrar vendinhas no estilo mercearia, na tradicional Venda de Seu Vital (que reúne um público cativo, todos os dias à tarde e à noite, para campeonatos de dominó na calçada, por exemplo), há cerca de 50 anos no bairro

(foto: Gabriela Belém/PorAqui)

E também vai ver bares com decoração de vendinha numa pegada mais moderna, como a Venda de Seu Antônio, que existe há menos de três anos.

7. As feiras da Praça de Casa Forte e do Muhne

(foto: Gabriela Belém/PorAqui)

Hoje em dia, Casa Forte abriga duas feiras orgânicas, semanalmente, em seu calendário. Uma ocorre às quintas-feiras, nos jardins do Museu do Homem do Nordeste (Muhne). E a outra ocorre aos sábados, na praça de Casa Forte.


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Para baixar o aplicativo: Android iOS

Sugestões e colaborações: casaforte@poraqui.news ou (81) 9.8173.9108