Falecido em 1987, Lula Cardoso Ayres era um artista versátil. Foi pintor, desenhista, cenógrafo de teatro, fotógrafo, muralista. Talvez ele seja mais conhecido hoje pelos mais de cem painéis e murais que assinou em diversas cidades brasileiras. No Grande Recife, o do antigo aeroporto (1958) e o do hall do Cinema São Luiz são os mais lembrados, mas há também obras belíssimas em prédios residenciais e comerciais (como essa obra-prima aqui).

Outra faceta menos conhecida era a de fotógrafo.  A qualidade técnica de suas imagens e os temas escolhidos – a cultura popular e personagens do Nordeste – revelam um fotógrafo sensível e interessado em documentação. Em breve, todo o acervo fotográfico do artista estará disponível para consulta na Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj).

LEIA TAMBÉM
Acervo da família de Joaquim Nabuco deve estar pronto para consulta em 2019

Lula Cardoso Ayres Filho está doando oficialmente para a instituição 7.149 documentos do pai, sendo  3425 negativos e diapositivos e 3724 ampliações em papel. Todo esse material será catalogado pela Fundaj.

Coordenadora Geral do Centro de Estudos da História Brasileira da Fundaj, Betty Lacerda diz que “ter esse acervo é um importante trabalho de resgate”. A expectativa é de que no próximo ano as fotografias estejam disponíveis para consulta do público.

O filho do artista fez a doação para a Fundaj. Foto: Malu Didier/Fundaj

Fotos da cultura nordestina

Filho de usineiro, Lula Cardoso Ayres fotografou muitas das manifestações culturais da Zona da Mata. Em suas fotografias há cortadores de cana, mulheres e crianças do engenho e também caboclos e índios da tribo Fulni-ô, no Agreste do estado.

Parte das fotografias eram usadas como referência para pinturas e desenhos posteriores.

Lula Cardoso Ayres fotografou o Nordeste. Foto: Malu Dider/Fundaj

A Fundaj já tinha uma pequena parte do acervo de Lula Cardoso Ayres: 109 fotografias, quatro pinturas, 112 ilustrações, 11 capas de revista e quatro capas de discos de vinis, além de 60 livros com capas e/ou obras do artista. Há imagens, por exemplo, do poeta Ascenso Ferreira ao lado da rainha de maracatu Dona Santa.

Esse pequeno acervo já está há anos disponível para consulta no Cehibra e, parte dele, foi usado para o livro “Lula Cardoso Ayres – Fotografia”, publicado pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe).

Centro de Documentação e de Estudos da História Brasileira – Cehibra
? Campus Anísio Teixeira – Rua Dois Irmãos, 92. Recife -PE
? De segunda a sexta-feira: 8h às 12h / 13h às 17h
? (081) 3073-6530