Já imaginou a quantidade de lixo eletrônico que jogamos fora? O celular que quebra e não tem mais conserto, o tablet que não liga mais, a televisão de plasma que já ficou obsoleta. Para aumentar a vida útil desses aparelhos, foi inaugurada nesta semana em Apipucos o primeiro de quatro polos no Brasil para oferecer formação para a reciclagem eletrônica.

O Polo de Profissionalização e Reuso de Eletroeletrônicos funciona na Avenida da Recuperação, 318, e recebe também doação e descarte de eletrônicos da chamada linha verde: celulares, computadores, laptops, estabilizadores de tensão, impressoras. Baterias não podem ser descartadas no local, já que não servem para o tipo de reuso feito por lá. Pessoas Físicas e Jurídicas podem fazer as doações, basta entregar o material no local.

O material recebido é remanufaturado e 70% dele é doado para instituições sem fins lucrativos apoiadas pelos parceiros do polo, que não vende os equipamentos remanufaturados para pessoas físicas.

Além de receber o material, o forte do novo polo – que é fruto de uma parceria entre entre o Instituto Intercidadania e o Centro Marista Circuito Jovem do Recife, com o apoio da Fundação Banco do Brasil – é a formação de profissionais habilitados para transformar o lixo eletrônico em material de trabalho.

Apipucos teve a primeira companhia de transportes públicos do Recife

“A ideia é que cada aluno formado no polo possa, no futuro, ser um empreendedor. O material que às vezes iria para o lixo comum de uma grande empresa ainda pode ser utilizado por muito tempo por outros segmentos. Por exemplo, um computador de um banco precisa de uma capacidade muito alta de processamento, enquanto o de uma associação de moradores não precisa”, comenta o gestor do núcleo, Domingos Sávio de França.

Para despertar o empreendedorismo dos futuros técnicos, o polo também mantem uma parceria com o Sebrae. O modelo do espaço em Apipucos será replicado em todas as macrorregiões de Pernambuco, começando por Rio Formoso, na Zona da Mata Sul.

Os cursos são gratuitos e duram de um a três meses. Foto; Divulgação

Trabalho com catadores
Outra ação do polo será ao lado dos catadores de materiais recicláveis, dando formação para que eles possam aumentar a renda com pequenos consertos em equipamentos jogados fora. “Por exemplo, um catador recolhe uma televisão e já vai desmontando para retirar o fio de cobre e vender por R$ 1. Com formação, ele pode identificar o que há quebrado e talvez soldando um simples fio consiga ligar a TV e vendê-la por R$ 60”, acredita Domingos Sávio.

Inscrições para cursos
O polo está com 300 vagas para o cursos de qualificação profissional (três meses de duração) e aperfeiçoamento tecnológico (um mês de aulas), ambos gratuitos. Para participar é necessário ter entre 16 e 29 anos e ter concluído ou estar cursando o Ensino Médio em escolas públicas.

As inscrições seguem até o final deste mês e devem ser feitas na sede do polo (Avenida da Recuperação, 318, Apipucos), das 7h30 às 11h30 e 13h30 às 17h. Mais informações pelo telefone: 3441-1428.