Por Gabriela Belém

A Biblioteca do Poço completa seis anos neste sábado (1º). E os motivos são muitos pra comemorar. Com uma receita mínima, mas amor de sobra, o projeto comunitário sopra as velas realizando a disseminação não apenas da leitura e da cultura, mas de aulas de música erudita pras crianças da comunidade e bairros afins. 

Virou um centro cultural que atrai os pequenos e seus familiares todos os dias, não só do Poço, mas também da Macaxeira e do Alto Santo Isabel. Tornou-se referência. Resiste. Reinventa-se. Faz campanhas. Cria padrinhos afetivos capazes de entender a importância da leitura e da cultura musical no futuro dos pequenos. 

(foto: Gabriela Belém/PorAqui)

Segundo o escritor e jornalista Samarone Lima, um dos fundadores, o projeto sobrevive de doações dos padrinhos, que depositam valores, todos os meses, para despesas de manutenção, como o aluguel da casa (no valor de cerca de R$ 1 mil), água, limpeza, ventilação, móveis etc. Não há ainda, por exemplo, uma merenda ou lanche pras crianças que feche a conta.

Idealizado por Naná (Evaldo Moura), Ninha (Maria Erenir), Boy (André Campos Feitosa) e Samarone Lima, o projeto foi pensado por eles a partir das caronas que Naná dava às crianças da comunidade em sua kombi, por conta própria, pra que elas não parassem de estudar e de ler.  

E há dois anos, por meio do convênio entre a Biblioteca do Poço, o Instituto Clio (da Universidade Federal de Pernambuco) e o Conservatório Pernambucano de Música, as aulas musicais foram introduzidas na programação. Ao todo, já somam 25 alunos.

(foto: Gabriela Belém/PorAqui)

"Quando entrou o projeto Orquestrando Pernambuco na Biblioteca, ganhamos outra vida. A música erudita, hoje, é o carro-chefe daqui, mais ainda do que a formação de leitores", conta Samarone. De segunda a quinta-feira há aulas no local (de teoria musical, violino, violoncelo, práticas de conjunto, individuais, grupão e canto e coral).

A mediação de leitura com aulas de desenho ocorre a cada 15 dias, com a professora de práticas artísticas Valéria Vital, voluntária (e que também ensina no colégio Apoio), para crianças a partir de cinco anos.

As inscrições pras aulas de música são direto com Manoela Dias, coordenadora de um time com outros três professores. Ela organiza os horários de uma forma super flexível pra que todos possam participar (a partir dos quatro anos).

Todos eles recebem os instrumentos, por meio de doações. "O projeto Orquestrando Pernambuco, um programa do governo do Estado e do Conservatório Pernambucano de Música, dá toda a parte de instrumentação", explica Manoela.

(foto: Gabriela Belém/PorAqui)

A ideia é que as crianças consigam passar na prova do Conservatório, por isso há disciplina, tarefas de casa, exercícios de postura e muito rigor nas aulas. "Já temos uma aluna aqui da Biblioteca no Conservatório, Shelda Manuela, há um ano, indo muito bem", conta Dias, que ensina o método Suzuki pras crianças, técnica japonesa, com cordas friccionadas (viola, violino e violoncelo).

"Somos uma fábrica de talentos. Já vi tantas crianças com mil dificuldades, mas entram numa rotina de estudo e terminam se apaixonando", diz Manoela.

Amante do violino, a estudante Marília Barbosa, de nove anos, vem da Macaxeira pra Biblioteca ter aulas. "É bem legal. Eu sempre gostei muito de violino e de música clássica. O meu compositor favorito é Bach", diz.

Que os sons de Bach, Mozart e Beethoven continuem a ecoar por muitos e muitos anos neste trabalho lindo de se ver e ouvir.

(vídeo: Jornal do Commercio)

Doações
As maiores necessidades não são mais a doação de livros, o local já está abarrotado deles. 

Se quiser ajudar, é melhor apadrinhar a Biblioteca com outros tipos de ajuda (quem quiser pode entrar em contato pelo email bibliotecacomunitariapocodapanela@gmail.com ou pela página facebook.com/bibliotecadopoco).

A Biblioteca do Poço fica na Rua Beira Rio, 22 (ao lado do campinho de Seu Abdias), na comunidade do Poço da Panela.


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Para baixar o aplicativo: Android iOS

Sugestões e colaborações: casaforte@poraqui.news ou (81) 9.8173.9108