Por Gabriela Belém

Tiro certeiro no mundo dos negócios é o famoso tino que só os empreendedores desbravados têm. E os sócios Paulo Belliato e Fenelon Moreira acertaram em cheio ao escolher a figura carismática de Seu Antônio para tocar o bar, inaugurado há menos de três anos, um dos mais badalados de Casa Forte.   

A sabedoria do espírito dele, educado e compromissado com o seu trabalho, permeia cada detalhe do local. Sobretudo na forma de lidar com os clientes. 

(foto: Gabriela Belém/PorAqui)

O case surgiu de uma relação de profunda confiança entre os três. "A minha relação com Fenelon é muito antiga, intrínseca à minha história. Há 30 anos, eu trabalhava num restaurante chamado Coisas de Minas, em Boa Viagem. Lá conheci ele, como cliente, e ficamos amigos", conta Seu Antônio.

Quando o empresário Fenelon Moreira inaugurou a saudosa Come-Come, em Casa Forte, em 1985, Seu Antônio foi convidado a ajudar a comandar a lanchonete, uma das mais amadas pelos apreciadores de hambúrgueres da Zona Norte do Recife. 

Natural de Ipojuca, Antônio Fernando Bezerra Costa, aos 20 anos, veio trabalhar como vendedor e garçom no Recife. Hoje, com 57 anos, afirma que o trabalho como garçom é tão importante no trato com as pessoas que deveria ser uma pós-graduação para quem quer ser dono do próprio negócio e para quem lida, em geral, com pessoas.

"O mais importante é saber cuidar de gente. Como garçom, você não está apenas servindo e vendendo. Você está cuidando das pessoas. Essa é a minha humilde opinião", diz. 

Não à toa, a cultura da simplicidade no trato com as pessoas é uma marca do local. E o bairro de Casa Forte, super família, colabora para o clima ter casado tão bem com o bar. "A clientela de Casa Forte é muito boa. Gosto muito daqui. Sinto essa coisa de um bairro de vida familiar. Talvez essa coisa de interior contribua", afirma Seu Antônio.

(foto: Gabriela Belém/PorAqui)

A personificação de Seu Antônio terminou presente no conceito de aconchego de casa do interior, na casa histórica (uma antiga venda cujo dono tinha o mesmo nome, por sinal) e na bucólica (e hoje super badalada) esquina que adentra o Poço da Panela. 

O conceito surgiu de referências de vendinhas em Caruaru. O cardápio saiu com um tom regional e sofisticado ao mesmo tempo, baseado em pesquisas, e direcionado para o público de Casa Forte, idealizado pelos três. 

De atmosfera kitsch, vintage e regional, a decoração foi criada a várias mãos também. "Gostamos muito de coisas antigas, e Luciana Maia fez o desenho do local, junto com Renata, minha esposa", explica Fenelon. 

Além de bar, hoje o negócio já pode ser considerado uma marca. "Participamos de eventos premium na cidade, há pouco no Carnaval, e agora, no São João, faremos pela primeira vez um na Semana Santa, em Gravatá", explica Paulo. 

Olhando pra sua trajetória, Seu Antônio lembra de outra dica bem importante para quem deseja empreender. "Você nunca anda sozinho. Quem diz isso é 'meu' não consegue nada. Estou muito feliz nesta fase da minha vida. Digo a Fenelon isso direto. Ele chega brinca: 'tá com a bexiga, já me disseste isso seis vezes hoje'. Agradeço mesmo, porque também tive uma chance que pouca gente tem".

E Seu Antônio finaliza a entrevista com uma dica simples para quem deseja ter o próprio negócio: viver e respirar o que você faz. "Saiba que, se você escolhe empreender na área de serviços e restaurantes, há os sábados e domingos, sempre. Nos finais de semana, você terá de estar junto com os seus clientes. Tudo acontece naturalmente a partir daí".

Venda de Seu Antônio
Av. 17 de Agosto, ao lado do Bar Real
(81) 3268-0020
Das 11h às 23h, nos finais de semana
Das 17h às 23h30, de terça a sexta-feira


O jornal de bairro evoluiu. No PorAqui, você encontra estações de conteúdo hiperlocal e colaborativo.

Para baixar o aplicativo: Android iOS

Sugestões e colaborações: casaforte@poraqui.news ou 81 9.8173.9108 (WhastApp)