Os moradores de Casa Forte, na Zona Norte do Recife, vão ter o privilégio de desfrutar, pertinho de casa, da primeira cinemateca pública de Pernambuco, que será inaugurada na Fundação Joaquim Nabuco, na Avenida 17 de Agosto, como uma unidade da coordenadoria do Cinema do Museu.

A previsão é que a Cinemateca esteja aberta ao público em janeiro ou fevereiro de 2018. A ideia é fazer do espaço um centro avançado de estudos e pesquisas na área do audiovisual, com catalogação e preservação de filmes raros para consulta, além de circulação das produções e debates.

A partir da inauguração, pesquisadores e estudantes já terão acesso ao acervo catalogado de duas maneiras: presencialmente, na sede da cinemateca, ou remoto pelo portal, na internet.

A proposta é também tornar os filmes acessíveis, com exibiçoes no Cinema do Museu e no Cinema da UFPE, além de disponibilizar parte do acervo para a TV Escola (canal aberto)  e TV INES. Dependendo do mês, a Cinemateca pode se dedicar a um ator, um diretor, fazer mostras e debates.

“A ideia é fazer uma cinemateca viva, que não seja só para guardar”, enfatiza Ana Farache, coordenadora do Cinema do Museu e responsável pela implantação da novidade.

A Cinemateca Pernambucana vai iniciar as atividades com coleta e catalogação de filmes em matriz digital, e de itens associados às obras, como roteiros, cartazes, fichas de produção, entre outros. Depois, os filmes em película passarão por um processo de digitalização e disponibilizados na versão digital no espaço da Fundaj.

A parceria com a Cinemateca Nacional também proporcionará apoio técnico especializado na área de restauração, preservação e difusão.

Um acordo contratualmente estabelecido entre a cinemateca e detentores dos direitos autorais dos filmes vai reger as condições de guarda e difusão das produções, caso a caso.